Números 27

Capítulo 27: As cinco mulheres. A sucessão de Moisés para Josué
1.As cinco mulheres solitárias ficariam sem amparo não fosse a bondade do Senhor através da compreensão e bom senso de Moisés. Elas ficaram numa situação difícil. O pai delas morreu sem deixar filho homem. Elas fizeram questão de enfatizar que ele não fazia parte do bando de rebeldes do deserto, mas morreu como morrem todos os humanos devido a terem nascido num mundo entregue ao pecado. Elas precisavam de um futuro confortável e para isso precisavam da benevolência de seus tios. Isso mostra a falta de direitos de propriedade das mulheres. No entanto,
isso acaba de ser mudado com os termos da Lei de Deus para aquelas mulheres (v.1-11).

“O caso desta família era singular e, sem dúvida, foi dirigido por Deus. Mas deu ocasião para manifestar a fé e piedade daquelas cinco irmãs; pois é muito evidente que elas criam nas promessas de Deus, que Canaã seria dividida a Israel e elas tinha a graça de desejar uma herança entre o povo de Deus. Enquanto o leitor observa a conduta das filhas de Zelofeade, eu chamo a atenção também para outra instrução surgida dessa circunstância. Moisés teve que numerar o povo… e Deus prometeu que aqueles que foram numerados deviam possuir Canaã (Nm 26.53). Mas as filhas de Zelofeade não foram numeradas e, consequentemente, não tinham direito à promessa. Vemos na sequência, entretanto, que a vontade do Senhor foi conceder a elas o direito; embora não sendo arroladas, elas não tinham pretensões nesta terra.[1]

A visão futura
1.Uma visão do futuro se baseia na história para detectar problemas (v.1-3)
2.Uma visão do futuro reivindica dias melhores para a família e sociedade (v.4)
3.Uma visão do futuro precisa se basear na direção do Senhor (v.5-6)
4.Uma visão do futuro precisa se basear no que é justo (v.7)
5.Uma visão do futuro precisa beneficiar outros, além de si mesmo (v.8-11)

2.Moisés vislumbraria a terra ao longe, mas não entraria nela devido à rebeldia com Arão contra o Senhor, batendo na rocha quando devia somente falar. Moisés não quis argumentar com Deus, mas estava preocupado com sua sucessão. Um líder sempre se preocupa que o seu trabalho continue através de outro servo fiel. É claro que Deus está muito mais atento à obra do que o servo mais fiel desta terra. O Senhor já providenciara Josué. Moisés passaria a sua autoridade para Josué. Paulo ordenou Timóteo a ensinar outros homens fiéis também. Precisamos pensar em sucessores fiéis para continuarem a obra do Senhor. Eleazar faria todo o ritual para a entrega do cargo a Josué (v.12-23).

A graça de Deus operando em meio à rebeldia
1.A graça de Deus permite vitória parcial na terra (v.12)
2.A graça de Deus permite a bênção eterna (v.13)
3.A graça de Deus permite a um rebelde o perdão eterno (v.14)
4.A graça de Deus permite o homem ouvir a voz de Deus (v.15)
5.A graça de Deus permite outros nos substituírem (v.16)
6.A graça de Deus permite a obra avançar sem a nossa presença (v.17)
7.A graça de Deus permite prepararmos outros para a obra de Deus (v.18)
8.A graça de Deus permite ainda termos um resto de autoridade (v.19-20)
9.A graça de Deus permite alegrar-nos com a bênção dos sucessores (v.21)
10.A graça de Deus permite obedecermos a Ele mais uma vez depois da rebeldia (v.22-23)



[1]Poor Man's Commentary - Robert Hawker - Published in 1805; public domain (domínio público) (extraído de e-sword version 10.3.0 - 2014)

Nenhum comentário:

Postar um comentário