Deuteronômio 13

Capítulo 13: Os falsos profetas
1.Os falsos profetas apresentam novidades para o povo de Deus, oferecendo sinais milagrosos para seduzir-nos a um tipo de adoração diferente daquilo que o Senhor nos mandou. De fato, os falsos profetas são rebeldes contra Deus, pois querem se firmar com poder humano para subjugar os seus semelhantes. Tudo tem a ver com poder. Se não fosse errado não haveria segredo, mas os convites são secretos, até mesmo pelos familiares, próximos aos crentes. A destruição deles está bem perto. As cartas de Pedro e Judas são bem ilustrativas quanto ao final dos falsos profetas. Não precisamos
cair com eles (v.1-18).

“Medidas tão rigorosas eram, por certo, indispensáveis naquela altura. Úteis no tempo de Moisés, dificilmente se compreenderiam num período posterior, quando se fez sentir a influência dos profetas. A frase é repetida juntamente com outros pecados odiosos em 17.7,12; 19.13,19; 21.9,21; 22.22,24; 24.7.”[1]

Os convites dos falsos profetas
1.Eles convidam a acreditar em sinais (v.1, Mt 24.24)
2.Eles convidam a outro tipo de adoração (v.2-4, 2 Tm 3.1-9)
3.Eles convidam a rebeldia (v.5, Tt 1.10-16)
4.Eles convidam em segredo (v.6-11, Pv 1.10-19)
5.Eles convidam para a própria destruição deles (v.12-18, Fp 3.17-21)



[1]O Novo Comentário da Bíblia - Deuteronômio , pg. 49 - Editado pelo Prof. F. Davidson, MA, DD – editora em português pelo Rev. D. Russell P. Shedd, MA, BD, PhD (ed. Vida Nova – São Paulo – SP – reimpr. 2000)

Nenhum comentário:

Postar um comentário