Deuteronômio 9


Capítulo 9: A infidelidade do povo e a intercessão de Moisés
1.Israel é o povo rebelde e o Deus verdadeiro (Jeová) é misericordioso. Nós nos parecemos muito com a nação de Israel. Houve várias advertências antes de entrarem em Canaã. Lá encontrariam povos mais fortes e cidades intransponíveis. Veriam homens altos e assustadores, os homens de Enaque. No entanto, a confiança em Deus deveria ser mais forte do que o medo dos adversários. Não era por causa da justiça de Israel que a vitória viria, mas porque Deus estava julgando as nações devido a maldade delas. Aliás, o povo de Israel não merecia a vitória, pois era rebelde. Nenhum de nós merece nada do Senhor, pois nossa tendência é se afastar Dele (v.1-6).

Zombaria contra Deus (Dt 9.1-7)

1.Zombadores pensam que são maiores do que Deus (v.1, Gn 11.1-9)
2.Zombadores pensam que são mais fortes do que Deus (v.2, Sl 18.2,21.1,22.19,27.1,28.7,29.11,59.9,16,68.35,71.18,84.5)
3.Zombadores pensam que jamais serão julgados por Deus (v.3, Ob 13-15)
4.Zombadores pensam que são justos diante de Deus (v.4-5, Lc 18.9-14)
5.Zombadores pensam que Deus não se lembra da rebeldia deles (v.6-7, Nm 12.2-10)

2.A rebeldia do povo foi constante do Egito até o momento, pois houve só murmura­ção. Em Horebe
(Sinai), Moisés recebeu a notícia de Deus a respeito da idolatria do povo. O conceito de Deus a respeito do povo não surge de observação, pois Ele já conhece o povo antes mesmo de se rebelarem contra Ele. Deus é justo. Não seria cruel em destruir o povo. Não quebraria a aliança com Abraão. Há crentes num precipício espiri­tual igual ao povo de Israel (v.7-14, 1 Co 11.30).

3.Moisés viu o que ouvira de Deus. O monte fervia em fogo; Moisés fervia em indignação. O líder deve ser misericordioso, mas não complacente. Moisés quebrou as tábuas da Lei. A lei já havia sido quebrada nos corações. A Bíblia e a oração só têm valor quando obedecemos, senão só para con­fissão (v.15-17).

4.Moisés intercedeu pelo povo. Deus fez uma proposta para ele. Ele preferia a morte própria à morte do povo (Ex 32.32). Moisés conhecia a mão pesada do Senhor. O Senhor ouviu Moisés. Não destruiu o povo. Não destruiu Arão. Moisés destruiu aquilo que estava fazendo separação entre o povo e Deus. É uma ilustração sobre o que deve­mos fazer com os nossos “deuses”. O perdão é absoluto. Houve outras rebeliões, mas Deus sempre foi paciente para com o povo além da medida. Aprendemos bastante com este incidente. Aprendemos que nós não merecemos o Senhor e que devemos honrar nossos líderes. Quanto aos líderes também há ensino. Os líderes devem ser firmes, justos e miseri­cordiosos, pois a misericórdia do Senhor dura para sempre, mas Ele tem o Seu próprio relógio para o fim da longanimidade (v.18-29, Mq 7.18-19).

“Quando nos esquecemos da graça de Deus, tornamo-nos orgulhosos e começamos a pensar que merecemos tudo o que Deus fez por nós; assim, Deus precisa nos lembrar de sua bondade e de nossa pecaminosidade, e tal lembrete pode ser doloroso. Esse é o tema da... mensagem de Moisés.”[1]


A história de infidelidade de Israel e a misericórdia de Deus

1.A justiça de Deus (v.1-6)

2.A rebeldia do povo (v.7-12)

3.A indignação de Deus (v.13-14)

4.A indignação de Moisés (v.15-17)

5.A Misericórdia de Deus e de Moisés (v.18-29)



[1] Comentário Bíblico Expositivo do VT Vol. 1 Pentateuco – pg. 522 – Warren W. Wiersbe (Editora Geográfica – 1ª edição 2006)

Nenhum comentário:

Postar um comentário