Juízes 5

Capítulo 5: O cântico de Débora
O cântico de Débora resume a vitória de Deus sobre os povos, mas também nos ensina muitas verdades sobre gratidão, serviço, voluntariedade, idolatria, lutas e vitórias (v.1-31).

“A narrativa da derrota de Sísera foi apresentada em duas revisões, uma em prosa (Jz. 4) e outra em versos (Jz. 5). A maior parte das autoridades em critica atribuem grande antiguidade ao Cântico de Débora, datando-o perto dos acontecimentos que descreve.”[1]

Algumas considerações sobre a Obra de Deus extraídas do cântico de Débora e Baraque (Jz 5)

1.As bênçãos precisam ser reconhecidas e agradecidas no mesmo dia (v.1)
2.O servo de Deus deve ser voluntário (v.2, 9)
3.O servo de Deus deve manifestar sua alegria, cantando (v.3)
4.Enquanto o Senhor caminha com o servo, há chuvas de bênçãos (v.4)
5.Nada prevalece contra o Senhor. O monte Sinai não deve ser adorado (v.5)
6.Os povos estão em caminhos tortuosos (v.6)
7.Deus levanta servos para ajudar os povos (v.7)
8.Os povos são idólatras (v.8)
9.Ver v.2: O servo de Deus deve ser voluntário (v.9, 2)
10.Os servos precisam anunciar a obra de Deus aos conservos, desafiando-os (v.10-11)
11.Na obra de Deus deve haver líderes (v.12)
12.Deus usa grandemente os Seus servos na Sua obra (v.13)
13.Na obra de Deus há outros que se juntam voluntariamente (cinco tribos, v.14-15)
14.Na obra de Deus há também outros que se omitem (quatro tribos, só resoluções e nada mais, v.15b-17)
15.Na obra de Deus há servos que se sacrificam mais do que outros (v.18)
16.O inimigo não vencerá o povo de Deus, mas a luta é dura! (v.19-22)
17.Na obra de Deus há covardes egoístas que não querem se envolver com os valorosos (v.23)
18.Na obra de Deus há mulheres nobres que se envolvem auxiliando os soldados do Senhor (v.24-27)
19.Na obra de Deus há tristeza por parte dos que se rebelaram contra o Senhor (v.28-30)
20.Na obra de Deus há tempos de descanso dos inimigos (v.31-32)



[1] Comentário Bíblico Moody – Juízes, pg. 25 (Editado por Charles F. Pfeiffer – Imprensa Batista Regular 4ª impressão 2001)

Nenhum comentário:

Postar um comentário