Juízes 13

Capítulo 13: O nascimento de Sansão
Chegamos a uma história muito querida dos cristãos, crianças e adultos. A importância de Sansão como libertador é indiscutível. Já as atitudes de um fanfarrão também são muito evidentes. Muitas pessoas com talentos se perdem por desejarem acima de tudo “curtir a vida”. O hedonismo esteve presente em todas as épocas. A falta de freio nos prazeres leva à destruição de si próprio e causa muito sofrimento aos que estão ao redor da pessoa. Os filisteus são os grandes opressores dessa história. Uma mulher, mais uma estéril a quem Deus usaria grandemente, recebeu a instruções de como criar o menino Sansão. O nome dele não significa “forte” como muitos diriam, mas “luz do sol”. Manoá, o pai do menino prometido, também queria receber a visita de Deus, mas o Senhor tinha uma intimidade com a esposa dele. Manoá sempre se mostrou mais imaturo como é comum
em muitos lares até hoje. O Senhor se revela como o Maravilhoso (veja Is 9.6). A mulher teve que tranquilizar o marido que já se via condenado à morte por ter visto ao Senhor. O menino nasceu e se tornaria o libertador de Israel (v.1-25).

“Manoá se ofereceu para preparar uma refeição ao Anjo, imaginando que se tratava de um homem. Mas este se recusou a comer com Manoá como se fosse seu semelhante. Em vez disso, propôs que a refeição fosse oferecida em holocausto, ao Senhor. Então Manoá quis saber o nome do Anjo, e este respondeu que seu nome era maravilhoso (um dos nomes do Senhor Jesus em Is 9:6).”[1]

Modelos de situações entre os crentes (Jz 13)
1.Modelo de fraqueza usado por Deus (v.1-3)
2.Modelo de consagração (v.4-5)
3.Modelo de marido ausente e mulher sábia (v.6-25)



[1] William MacDonald - Comentário Bíblico Popular Antigo Testamento, pg. 187 – William MacDonald (Editora Mundo Cristão – SP – 2ª ed. junho de 2011 – impresso na China)

Nenhum comentário:

Postar um comentário