Juízes 18

Capítulo 18: O sequestro do sacerdote
Todas as tribos receberam sua parte da herança, mas no início cada qual deveria lutar e conquistar o seu espaço. No início, as coisas não são fáceis, mas tornam-se memoráveis por isso mesmo. Devemos retornar para os pequenos inícios e não desprezá-los (veja Zc 4.10). Mica volta para nossa história, pois ali que os espias danitas ficaram. Notaram a presença de um levita ali e queriam, através dele, saber a direção de Deus. As pessoas precisam de direção e os religiosos ainda são muito procurados. Neste caso, a direção foi certeira. Se deu certo, por que não continuar com aquelas orientações? Por isso, os guerreiros queriam o sacerdote com suas roupas e ídolo caseiro (terafim). Assim é a humanidade, o que está dando certo precisa ser tomado e quanto mais melhor. Assim se deu o início da herança de Dã. Não nos admira que o nome deles foi excluído dos 144 mil
em Ap 7. Não havia rei e cada um fazia conforme queria. De fato, o único rei que deveriam ter era o próprio Deus. Seria suficiente (v.1-31).

“Uma religião que depende de qualquer coisa material ou ofício humano para sua eficácia é estranha ao caráter da adoração espiritual do Deus verdadeiro.”[1]

Os erros da falsa fé (Jz 18)
1.Servir a homens e não a Deus (v.1-6)
2.Seguir direção de homem e não de Deus (v.7-10)
3.Alegrar-se com quem paga mais e não com a obra de Deus (v.11-20)
4.Roubar em nome da fé (v.21-26)
5.Misturar a idolatria com as coisas santas (v.27-31



[1] The Pulpit Commentary, Juízes 18 - Edited by the Very Rev. H. D. M. Spence, D.D., and by the Rev. Joseph S. Exell, M.A. (Published in 1880-1897 extraído de e-sword version 10.3.0 - 2014)

Nenhum comentário:

Postar um comentário