1 Samuel 6

Capítulo 6: A devolução da arca
1.Os filisteus se apropriaram da arca da aliança do Senhor Deus de Israel para a sua própria ruína. Agora achavam que ao devolvê-la deveriam enviar algum presente como forma de apaziguar a ira de Deus. Essa é a ideia pagã, a de que uma divindade precisa ser apaziguada. O número de presentes seria o número de governadores filisteus. Enviariam cinco tumores de ouro e cinco ratos também de ouro. Alguns pensam que, possivelmente, a doença era a peste bubônica, causada pelos ratos. Os filisteus lembraram muito bem do destino de Faraó por tentar resistir a Deus por tanto tempo. Os filisteus, como todos os animistas, acreditavam que a doença era causada por Deus e, por isso, estavam apaziguando, enviando presentes. No entanto, ainda carregavam suas crendices, por isso, enviaram a arca e os presentes em carros de bois. As vacas que puxariam o carro seguiriam
em algum rumo. Se fossem para a cidade de Bete-Semes, então, entenderiam que era Deus o responsável pela maldição, senão, teria sido apenas o acaso. Os carros tomaram a direção de Bete-Semes (v.1-12).

2.Os moradores ficaram surpresos ao ver a arca chegando à cidade. O povo usou as vacas e as madeiras do carro para fazerem fogo e oferecerem os animais em sacrifício. Na grande pedra que havia ali, coloram a arca e os presentes e depois deixaram a pedra ali mesmo como memorial. Os cinco governadores viram tudo aquilo, talvez espiando de longe. Os moradores de Bete-Semes fizeram algo que não deveriam, abriram a tampa da arca, o propiciatório, para ver o que havia dentro da arca. Eles foram mortos por Deus. Imediatamente perceberam que a arca com toda a santidade de Deus não podia ficar com eles. Pediram ajuda para os irmãos de Jearim (v.13-21).

“Eles tinham um único plano para provar – duas vacas leiteiras que nunca tinham sido carregadas um jugo. Normalmente elas retornariam para os seus bezerros para serem amamentados – as vacas também não estavam acostumadas com o jugo.”[1]

A devolução da arca e as doutrinas atuais (1 Sm 6)
1.A doutrina falsa do apaziguamento. Ofertar para tudo dar certo (v.1-3)
2.A doutrina falsa da imitação. Achar que Deus precisa de nossas ideias (v.4-5) muitos imitam o tabernáculo. As imagens são imitação de Deus e daqueles que já morreram
3.A doutrina falsa do acaso. Achar que Deus não tem nada a ver com algum assunto (v.6-9)
4.A doutrina verdadeira da Santidade. Deus é Santo o homem pecador (v.10-21)



[1] Outlines by Dr. David Hocking, 1 Samuel, pg. 20 (sem informações de publicação)

Nenhum comentário:

Postar um comentário