Rute 1



Capítulo 1: As três viúvas

1.Não era nada fácil o que aquele pai de família deveria fazer. Parece-nos fácil julgar sobre a partida dele da terra do povo de Deus para uma terra idólatra. Talvez ele devesse continuar ali e confiar nos recursos de Deus. Foi na época dos juízes e sabemos que cada um fazia como achava ser o mais correto. Nem sempre os planos de fuga de uma situação saem como o esperado. Elimeleque morreu e deixou sua família em situação até pior. A esposa e os filhos e, agora, as noras ficaram ali 10 anos, em Moabe. Os filhos morreram e as três viúvas tinham que sobreviver. Noemi recebeu boas notícias de Israel quanto às colheitas e foi tentar a vida ali, retornando para o seu povo, de
onde, provavelmente, jamais deveria ter saído (v.1-6).

2.Noemi até concordou que as noras a acompanhassem, mas pensou melhor e não achou correto tirar as moças da terra de seus pais. Ela as liberou de qualquer compromisso. Uma delas foi embora, mas a outra, Rute, prometeu fidelidade perpétua à sogra. Dez anos se passaram, mas Noemi ainda era conhecida em Belém de Israel. Noemi estava bem amargurada com a vida e não tinha muitas esperanças. O retorno dela foi providência divina. Noemi e Rute chegaram no começo das colheitas (v.7-22).

“Sua fé [de Rute] poderia não ser bem fundamentada, mas era real. Observa Simeon: ‘Suas opiniões sobre religião poderiam não ser muito claras; contudo, é evidente que um princípio de piedade vital se enraizara em seu coração, operando poderosamente cm sua vida. Na verdade, ela agiu em perfeita conformidade com aquela injunção, que posteriormente seria entregue pelo Senhor: ‘todo aquele que dentre vós não renuncia a tudo quanto tem, não pode ser meu discípulo’ (Lc 14:33).’”[1]

Amargura (Rt 1)
1.A amargura pode brotar no coração quando nos sentimos sozinhos (v.1-5, Hb 13.5)
2.A amargura pode brotar no coração quando nos sentimos cansados (v.6-10, Mt 11.28)
3.A amargura pode brotar no coração quando nos sentimos velhos (v.11-15, Sl 92.12-15)
4.A amargura pode brotar no coração quando não aceitamos o consolo dos irmãos (v.16-20, 2 Co 1.3-6)
5.A amargura pode brotar no coração quando nos sentimos vazios (v.21-22, Fp 2.5-8)



[1] Introdução e Comentário – Juízes, pg. 244 – Artur E. Cundall e Leon Morris – Série Cultura Bíblica (Ed. Vida Nova – São Paulo – SP – 1ª ed. Brasileira 1986)

Nenhum comentário:

Postar um comentário