1 Samuel 15

Capítulo 15: Desobediência e rejeição
1.Saul estava sempre em constante provas. É como se Deus estivesse dando a ele mais uma chance de mostrar que o seu coração estava inclinado para as coisas corretas e divinas. Chegou o momento de Deus se vingar dos amalequitas por não deixarem o povo de Israel passarem para entrarem em Canaã. O juízo de Deus pode demorar, como alguns pensam, mas o Senhor tem o seu tempo de julgamento. A ordem era simples: destruir tudo, os animais e pessoas de todas as idades. Saul não teve dificuldades de invadir a cidade de Amaleque. Os queneus foram poupados por terem mostrado bondade para com a nação. Saul obedeceu parcialmente a ordem de Deus. Ele poupou Agague, o rei dos amalequitas bem como os animais de qualidade. É incrível como não conseguimos destruir as obras da carne em nossa vida. Poupamos o que julgamos melhor, nossas capacidades,
talentos e tudo o que achamos que serve para impressionar a Deus e aos homens. Morremos com Cristo e esta verdade já foi consumada. Porém, quando não consideramos isso, sofremos com a vaidade de poupar o nosso melhor. A carne jamais agradará a Deus (v.1-9).

2.Deus disse a Samuel que Saul desobedeceu novamente. Saul teve chance de consertar sua obstinação e independência. Quando Samuel encontrou Saul, este se antecipou e disse que obedeceu ao Senhor. Quando Samuel perguntou a Saul sobre os animais, Saul respondeu que guardou o melhor para o Senhor e também que poupara o rei Agague. Conquistar o rei vivo era sinal de vitória para os povos, porém, Deus deu uma ordem específica e Saul deveria ter obedecido. Samuel mostrou através de uma retrospectiva histórica do chamamento de Saul. No Antigo Testamento, quando se faz uma retrospectiva, certamente, vem uma repreensão depois. Foi o que aconteceu. Mesmo tendo explicado o erro para Saul, ele não aceitou e quis se justificar. O homem não pode agir como se a Palavra saísse dele, mas deve obedecer, pois ela vem de Deus. Saul mostra que os sacrifícios não são mais importantes do que a obediência. O pecado de rebelião de Saul foi equivalente à feitiçaria, pois a desobediência nada mais é do que o desprezo a Deus para seguir o próprio caminho, assim como a idolatria (v.10-23).
3.Saul reconhece o seu pecado. Muitas vezes, reconhecemos o pecado tarde demais para tentar fugir de uma disciplina. Samuel, dirigido por Deus, não aliviou a consciência de Saul que estava contaminada com seus enganos e manipulações. Deus rejeitou Saul. Porém, Saul não queria deixar Samuel ir, pois sabia que não haveria retorno. Ao tentar pegar Samuel, Saul rasgou-lhe a roupa, o que serviu de profecia. Assim como o manto de Samuel foi rasgado, o reino de Saul foi rasgado. Deus daria para alguém melhor do que Saul. A humilhação de Saul foi pública, diante de todos os anciãos. Saul pediu misericórdia e parece que Samuel concedeu a ele a oportunidade de adorar ao Senhor (v.24-31).

4.Samuel realizou a tarefa que deveria ser feita por Saul e matou Agague. O rei Agague feriu muitos inocentes e, agora, o juízo de Deus cai sobre ele. Muitos deixam de acreditar na Bíblia devido à matança. Seria importante essas pessoas se perguntarem se realmente creem na justiça de Deus e se acreditam na existência do inferno, pois o Senhor, ainda hoje, está punindo os pecadores permitindo a existência do inferno e deixando que pecadores sem Cristo sejam lançados ali nas terríveis trevas. Samuel não viu mais Saul, mas o coração de Samuel sofria por Saul. Samuel era um servo bem compassivo. Ele poderia até ficar inimigo de Saul, pois foi o rei escolhido para substituir o governo de Samuel que era juiz. No entanto, Samuel não nutria nenhum tipo de rivalidade com Saul, tanto assim que a queda de Saul não deixava Samuel contente. Quando a Bíblia diz que Deus se arrependeu no versículo 35 não está em contradição com o versículo 29. O arrependimento de Deus, ou seja, a mudança de mente está no fato de que Ele tem bênção e juízo para entregar ao homem, conforme o comportamento do homem (v.32-35).

“A história de Saul traz consigo esses fatos: ... A vida que vivemos é uma vida de provação [um teste]; Deus coloca homens em certas condições para prová-los. Estamos sob teste, assim como Saul esteve.”[1]

O peso da obediência (1 Sm 15)
1.Obediência pode ser pesada, mas a desobediência é um fardo (v.1-3)
2.Obediência parcial é desobediência completa (v.4-9)
3.Obediência não é questão de opinião própria (v.10-16)
4.Obediência é melhor do que sacrifício (v.17-23)
5.Obediência protege da queda (v.24-31)
6.Obediência precisa ser individual (v.32-35)



[1] Sermon Bible Commentary – 1 Sm 15.2 - Edited by the Rev. W. Robertson Nicoll, M.A., LL.D. Published in 1888-1893 (extraído de e-sword version 11.0.6 – 2016)

Nenhum comentário:

Postar um comentário