1 Samuel 16

Capítulo 16: A escolha de um rei em lugar de Saul
1.Samuel tinha muito dó de Saul. Deus já tinha rejeitado Saul. Samuel temia por sua vida, pois Saul poderia matá-lo, caso descobrisse que Samuel estava à procura de um rei. Deus queria alguém da família de Jessé, mas não qualquer pessoa. Deus já havia escolhido Davi. Os anciãos da cidade ficaram com medo quando viram Samuel. Ele disse que estava ali apenas para sacrificar. O primeiro rei escolhido tinha ótima aparência. O próximo rei não impressionava, pois o homem vê o exterior mas Deus vê o interior. Deus sabia quem Ele escolheria, mas os homens, não. Jessé mostrara sete filhos, mas nenhum deles foi escolhido por Deus. Só faltava ver um dos filhos, mas sem esperança alguma de que ele seria o rei. Era um jovem pastor de ovelhas. Samuel não comeria sem antes ver esse jovem. Ele não era feio, simplesmente não tinha a mesma aparência de Saul que era alto e sobressaía a todo o povo. Ele era ruivo. Os ruivos, parece, sempre sofreram bullying na história. Eliabe poderia ser o próximo Saul, pois era alto e, assim, a nação manteria a presença de um rei com
boa aparência. Davi era muito bonito ou delicado para uma tarefa tão grandiosa. O Espírito Santo entrou em Davi e permaneceu nele, o que não era comum, pois sabemos que no Antigo Testamento o Espírito Santo não habitava permanentemente os crentes (v.1-13).

“Os Seus caminhos não são os nossos caminhos; precisamos realmente confiar Nele para nos guiar; para nos ajudar a tomar as decisões corretas. Três coisas, neste capítulo, revelam nossa necessidade de confiar em Deus para nos dirigir em tudo o que fazemos. 1) Sua ordem a Samuel (v.1-5) 2) Sua escolha por Davi (v.6-13) 3) Seu controle sobre Saul (v.14-23).”[1]

A intermediação do homem numa escolha divina (1 Sm 16.1-13)
1.Não é fácil quando se trata de substituição (v.1-2)
2.Não é difícil quando a substituição é feita por Deus (v.3-5)
3.Não é uma escolha pessoal (v.6-7)
4.Não pode ter pressa (v.8-10)
5.Não é previsível (v.11-13)

2.Como sabemos, no Antigo Testamento, o Espírito Santo cumpria uma função na vida de pessoas, mas não as habitava permanentemente. Saul estava longe do Senhor cada vez mais, por isso, abriu janela em sua vida para que os demônios o oprimissem. Os empregados de Saul, orientados por Deus, certamente, indicaram um tocador de harpa para tranquilizá-lo. Não apenas um artista, um músico, mas alguém que andava com Deus, o qual transmitiria paz naquela situação perturbadora da mente de Saul. A indicação não poderia ser melhor. O jovem Davi era bem talentoso, agradável, tinha valor e coragem e, o mais importante, andava em comunhão com Deus. O pai de Davi, Jessé, mandou junto com Davi um agrado ao rei, vinho, carne de cabrito e pão. Saul gostou de Davi e o fez seu novo armeiro. Além, de fazer aquilo para o que foi designado, acalmar Saul em sua perturbação de alma. Podemos ser usados por Deus para acalmar as pessoas, pois Aquele que vive em nós é de paz. No entanto, nossa missão não é apenas acalmar as pessoas, mas atraí-las para o Senhor Jesus Cristo. Para alguém resolver o seu problema da alma ou o pecado precisa ir até Àquele que dá descanso às almas sofredoras, as quais carregam fardos pesados. Em arrependimento e reconhecendo Jesus como Salvador substituto para os seus pecados, as pessoas encontrarão não apenas paz para seus momentos de perturbação, mas vida eterna (v.14-23).

“A poderosa influência exercida pela música sobre o estado mental é bem conhecida desde os tempos antigos; assim, os antigos sábios gregos recomendavam a música para acalmar as paixões, curar as doenças mentais e até mesmo controlar os tumultos entre as pessoas.”[2]

O pânico e a paz (1 Sm 16.14-23)
1.Demônios perturbam e provocam pânico (v.14)
2.Rejeição contra Deus provoca pânico (v.15)
3.A música pode ser um paliativo contra o pânico (v.16-17)
4.A presença de Deus substitui o pânico pela paz (v.18)
5.Pessoas comuns podem ter paz e reis podem estar em pânico (v.19-20)
6.Pessoas guiadas por Deus exalam paz (v.21-23)



[1] Expositions of Holy Scripture (1 Samuel), pg. 41 – Alexander Maclaren (1826-1910) (Grand Rapids, MI: Christian Classics Ethereal Library)
[2] Keil & Delitzsch - Keil & Delitzsch Commentary on the Old Testament (1 Sm 16.15-16) (Johann (C.F.) Keil (1807-1888) & Franz Delitzsch (1813-1890) – extraído de e-sword version 10.3.0 – 2014

Nenhum comentário:

Postar um comentário