1 Samuel 18

Capítulo 18: Amizade e ciúmes
1.Davi encontrou em Jônatas o que não encontrava nos irmãos e em Saul. Uma amizade sincera e sacrificial. Uma amizade baseada no amor de Deus e no desejo de servir um ao outro e a nação. Saul realmente viu o valor que era ter aquele jovem em seu palácio. Davi era muito útil como músico, valente guerreiro, conselheiro e amigo. Jônatas tinha uma amizade de devoção para com Davi e, por isso, em sinal de amizade ofereceu coisas valiosas para a época: túnica militar, a espada, o arco e o cinto. Davi era bem-sucedido por onde ia, por isso, Saul de modo sábio o promoveu a comandante. Isso não causou ciúme no exército e nos soldados. Todos viam que era justo. As mulheres também gostavam muito de Davi e, por isso, festejavam ao voltar de da batalha contra Golias. O problema é que o elogio delas a Davi machucou profundamente Saul, pois havia no canto uma comparação onde Davi levava a melhor fama. Saul que dava o devido valor a Davi, agora estava enciumado, o que
atrapalhou muito o relacionamento pessoal e profissional. Novamente Saul ficou loucamente oprimido por espíritos maus e Davi, como antes, o consolou com a música. Dessa vez, porém, Saul tentou matar Davi. Aliás, aconteceu duas vezes. Saul sabia da escolha de Deus por Davi e, por isso, tinha medo de que Davi tomasse o seu lugar. O medo de perder posição faz com que as pessoas façam loucuras. Até a promoção que Saul dava a Davi tinha como objetivo afastá-lo, mas o Senhor dava vitória a Davi. A opinião popular era favorável a Davi e isso deixava Saul com mais medo de perder sua posição (v.1-16).

2.Saul tinha uma dívida para com Davi e nada deveria exigir dele, pois trato é trato. Ele venceu Golias e tinha por direito pagamento, a filha como esposa e isenção de impostos. Se entendermos como um convite, Davi foi agraciado com alta posição no exército do rei. No entanto, a motivação de Saul era acabar com Davi sem que ele mesmo se sujasse com tamanha ofensa contra a nação, pois afinal Davi tornara-se um herói nacional. Saul pensava que ao enviar Davi às batalhas, em algum momento, ele seria morto. Mais tarde Davi fez isso com Urias. Davi considerava muita honra ser genro do rei, o que nos dá a certeza de que ele derrotou a Golias em nome de Deus e não por alguma recompensa. De qualquer maneira, Saul não cumpriu a promessa e deu a primogênita para outro. Mical ficou apaixonada de Davi. Saul achou muito bom, pois isso desviaria a atenção de sua desonestidade e, além disso, pelo dote que ele pediria por Mical, certamente Davi seria morto, o que não aconteceu. O fato é que Davi podia ter a filha de Saul sem pagar nada, pois o pagamento já tinha sido combinado e executado ao matar Golias. Davi, porém, em vez de ficar ofendido, animou-se em casar-se com Mical e, antes do dia marcado para o casamento, matou 200 filisteus. Davi cada vez mais famoso e Saul cada vez mais ciumento e vendo Davi como uma ameaça. Por todos os dias da vida de Saul, ele ficou inimigo de Davi (v.17-30).

“Se as pessoas ciumentas ponderassem nesta história, descobririam como é inútil tentar frustrar os planos de Deus sobre a vida do outro (veja Sl 7.11-13,16). Não fique amuado, não subestime, não semeie suspeitas... Se você escolher o caminho da generosidade, você descobrirá a alegria em seu coração. Estabeleça suas bases em Cristo contra a indignidade e egoísmo!”[1]

Sendo cativado (1 Sm 18)
1.Cativado pela amizade sincera (v.1-5)
2.Cativado pelo ciúmes (v.6-16)
3.Cativado pelas palavras e promessas (v.17-30)



[1] Through the Bible Day by Day (F. B. Meyer) - A Devotional Commentary by F. B. Meyer, B.A. – 1 Sm 18.22-30 (extraído de e-sword version 10.3.0 – 2014)

Nenhum comentário:

Postar um comentário