1 Samuel 25

Capítulo 25: Nabal, o tolo
1.O grande último juiz, primeiro profeta e sacerdote Samuel morreu. Lembramos dele desde antes do nascimento, conforme registrado no primeiro capítulo. Uma história linda a partir da mãe dele, da entrega, dos primeiros passos na vida de fé, no preparo, coragem, dificuldades, desprezo, fidelidade e muitas outras virtudes de um servo a ser imitado. A menção de Calebe é feita aqui a respeito de um de seus descendentes. Calebe foi bênção, mas o descendente em questão é um tolo, estúpido, louco. Este é o significado de Nabal que manteve no comportamento o significado infeliz do nome. É comum artistas mudarem de nome devido à numerologia, astros, áurea, enfim, por motivo de feitiçaria. O fato é que ninguém precisa se preocupar com o significado do nome e nem

1 Samuel 24

Capítulo 24: Davi poupa a vida de Saul por reconhecê-lo rei
1.Saul atendeu às necessidades do território da nação de Israel invadida pelos filisteus, mas nunca deixou de ter como assunto urgente matar Davi. Ele tinha recursos de bons soldados, mas o Deus dos exércitos estava do lado de Davi e não dele. Num momento de necessidade fisiológica, Saul ficou à mercê de Davi. Se Davi quisesse matá-lo o faria ali. Não faltaram incentivos para Davi matar Saul. O máximo que Davi fez foi tirar um pedaço do tecido da capa de Saul para mostrar-lhe que poderia tê-lo matado. Porém, Davi era tão sensível que até mesmo ter cortado um pedaço da capa de Saul incomodou a consciência dele. Davi entendia que o rei no momento era Saul e que ele deveria prestar-lhe submissão. Alguns pastores têm usado esse incidente para amedrontar o rebanho, reivindicando a unção do Senhor sobre suas vidas e, portanto, ninguém pode discordar

1 Samuel 23

Capítulo 23: Mais fugas de Davi
1.Deus não abandonou Davi. Ele seria mais útil em Judá do que no território dos moabitas. O livramento de Queila daria um novo impulso às atividades militares de Davi. Deus usou o profeta Gade numa hora que Davi estava desanimado. O Senhor não quer que fiquemos inúteis. É verdade que, às vezes, temos que sossegar das atividades, mas tudo no tempo do Senhor. A multidão ou o deserto são determinações de Deus para os seus servos e não nós que escolhemos. Os companheiros de Davi estavam com medo dessa empreitada para atacarem os filisteus. Davi, porém, tinha confiança em Deus ao consultá-lo mais uma vez e receber a confirmação. Até Abiatar que estava destituído de toda a família, tinha um ministério sacerdotal. Saul achava que Davi estava em

1 Samuel 22

Capítulo 22: Saul mata os sacerdotes e suas famílias
1.As fugas de Davi não acabam tão cedo. Mesmo na caverna, Davi não estava sozinho, pois havia uma família amorosa pensando nele e se juntaram a ele. Até mesmo os irmãos que antes tinham algum problema com Davi, seja ciúme, inveja ou outro conflito, agora, provavelmente, estão com ele. Família sempre é bem-vinda, mesmo com todos os problemas. Davi acabou sendo um comandante de fracassados. Não importa o quanto tentemos aproximar os ricos e bem-sucedidos para o meio dos crentes, é certo que os desesperados se juntarão primeiro. Ali encontram o que necessitam. Ficar do lado de Saul é estar com os opressores, pois Davi, mesmo com falhas, ama o

1 Samuel 21

Capítulo 21: O início das fugas de Davi
1.Onde Davi ia causava espanto, pois sendo ele um homem de confiança do rei, isso já era motivo para o anfitrião pensar que o assunto era sério. Davi começou sua jornada com várias mentiras, mas como o estudante da Bíblia experimentado sabe, Deus registra os fatos e precisamos comparar textos, situações e princípios bíblicos para interpretá-los. Davi fugitivo, sem amparo e com fome apela ao sacerdote para dar-lhe pão da mesa da proposição, uma mesa preparada para o serviço de Deus. O sacerdote daria o pão, o que não era de modo algum comum. Ele exigiu que os soldados

1 Samuel 20

Capítulo 20: Jônatas protege Davi
1.Davi estava cansado e atordoado por tamanho ódio de Saul contra ele. Jônatas achava que Davi estava exagerando um pouco, mas Davi entendia que Saul não contava tudo para Jônatas, pois este amava Davi e falaria a ele. Jônatas quer acreditar no amigo e faz de tudo para entender a situação. Davi faz um teste com a cooperação de Jônatas e fica concluído que, de fato, Saul quer a morte de Davi. A ausência de Davi à mesa do rei juntamente com a reação do rei seria a evidência do ódio de Saul ou seria apenas impressão de Davi. O sentimento de Davi podia estar um pouco comprometido, por isso, ele está pronto a ser morto pelo próprio Jônatas, caso tivesse culpa diante do rei. Jônatas mantém sua fidelidade a Davi e propõe outro teste a Davi. Jônatas fez Davi prometer que cuidaria da

1 Samuel 19

Capítulo 19: O ódio incontido de Saul contra Davi
O ódio de Saulse prolongava. Jônatas resolveu investigar os sentimentos do pai. Jônatas até tentou convencer o pai da loucura de odiar um valente como Davi, o qual só fez bem, derrotando o gigante Golias. Jônatas foi um testemunho contra Saul a respeito da tentativa de assassinato de um servo valoroso como Davi. Nós também, hoje, podemos incorrer no mesmo erro ao julgar alguém que só faz o bem. Quando isso acontece, certamente a causa é o ciúme. Saul concordou com o filho, porém não tinha determinação moral. A informação de Jônatas para Davi não era mentirosa, mas equivocada, por causa do pai que era tão inconstante. Como das outras vezes, Saul tentou matar Davi. A esposa de Davi tentou protegê-lo através de um engodo, mas conseguiu apenas atrasar a

1 Samuel 18

Capítulo 18: Amizade e ciúmes
1.Davi encontrou em Jônatas o que não encontrava nos irmãos e em Saul. Uma amizade sincera e sacrificial. Uma amizade baseada no amor de Deus e no desejo de servir um ao outro e a nação. Saul realmente viu o valor que era ter aquele jovem em seu palácio. Davi era muito útil como músico, valente guerreiro, conselheiro e amigo. Jônatas tinha uma amizade de devoção para com Davi e, por isso, em sinal de amizade ofereceu coisas valiosas para a época: túnica militar, a espada, o arco e o cinto. Davi era bem-sucedido por onde ia, por isso, Saul de modo sábio o promoveu a comandante. Isso não causou ciúme no exército e nos soldados. Todos viam que era justo. As mulheres também gostavam muito de Davi e, por isso, festejavam ao voltar de da batalha contra Golias. O problema é que o elogio delas a Davi machucou profundamente Saul, pois havia no canto uma comparação onde Davi levava a melhor fama. Saul que dava o devido valor a Davi, agora estava enciumado, o que

1 Samuel 17

Capítulo 17: A vitória de Davi sobre Golias
1.Os filisteus não desistiam de sua luta contra Israel. Saul era o rei ainda, pois não havia consumado a destituição do seu reino. Mesmo em pecado de rebeldia contra Deus, houve um intervalo longo até que Davi se tornasse rei. Portanto, a luta seria travada contra os filisteus sob o comando do rei Saul. A figura emblemática dos filisteus era Golias, um gigante de quase três metros de altura, assustador. A armadura de Golias pesava uns sessenta quilos. A ponta da lança de Golias pesava uns sete quilos. A função de Golias era provocar. Dificilmente alguém pensaria que era apenas uma bravata, mas acreditava-se pelo o que se podia ver que ele era um homem forte e poderoso. A oferta do desafio era tentadora, pois tudo seria decidido apenas com uma luta entre Golias e um escolhido de Israel. Saul e os soldados não viram uma oportunidade, mas estavam apavorados com a

1 Samuel 16

Capítulo 16: A escolha de um rei em lugar de Saul
1.Samuel tinha muito dó de Saul. Deus já tinha rejeitado Saul. Samuel temia por sua vida, pois Saul poderia matá-lo, caso descobrisse que Samuel estava à procura de um rei. Deus queria alguém da família de Jessé, mas não qualquer pessoa. Deus já havia escolhido Davi. Os anciãos da cidade ficaram com medo quando viram Samuel. Ele disse que estava ali apenas para sacrificar. O primeiro rei escolhido tinha ótima aparência. O próximo rei não impressionava, pois o homem vê o exterior mas Deus vê o interior. Deus sabia quem Ele escolheria, mas os homens, não. Jessé mostrara sete filhos, mas nenhum deles foi escolhido por Deus. Só faltava ver um dos filhos, mas sem esperança alguma de que ele seria o rei. Era um jovem pastor de ovelhas. Samuel não comeria sem antes ver esse jovem. Ele não era feio, simplesmente não tinha a mesma aparência de Saul que era alto e sobressaía a todo o povo. Ele era ruivo. Os ruivos, parece, sempre sofreram bullying na história. Eliabe poderia ser o próximo Saul, pois era alto e, assim, a nação manteria a presença de um rei com

1 Samuel 15

Capítulo 15: Desobediência e rejeição
1.Saul estava sempre em constante provas. É como se Deus estivesse dando a ele mais uma chance de mostrar que o seu coração estava inclinado para as coisas corretas e divinas. Chegou o momento de Deus se vingar dos amalequitas por não deixarem o povo de Israel passarem para entrarem em Canaã. O juízo de Deus pode demorar, como alguns pensam, mas o Senhor tem o seu tempo de julgamento. A ordem era simples: destruir tudo, os animais e pessoas de todas as idades. Saul não teve dificuldades de invadir a cidade de Amaleque. Os queneus foram poupados por terem mostrado bondade para com a nação. Saul obedeceu parcialmente a ordem de Deus. Ele poupou Agague, o rei dos amalequitas bem como os animais de qualidade. É incrível como não conseguimos destruir as obras da carne em nossa vida. Poupamos o que julgamos melhor, nossas capacidades,

1 Samuel 14

Capítulo 14: Vitória, voto e proteção para Jônatas contra o próprio pai
1.Jônatas era arrojado, ousado. A intenção dele era derrubar os filisteus. Ele não pediria para o seu pai, pois ele jamais deixaria Jônatas fazer uma loucura dessa. Os jovens podem ser muito corajosos, basta canalizar sua mente nos objetivos certos. Jônatas cria verdadeiramente no poder de Deus, mas também na vontade Dele. Algumas pessoas colocam na cabeça um alvo e chamam isso de vontade de Deus. Jônatas estava pronto para derrotar o inimigo, não importava se estivesse apenas ele e seu servo. Porém, se Deus mostrasse que ele não deveria atacar ele obedeceria a Deus. O servo de Jônatas também é um exemplo de submissão e obediência. O sinal de Deus para Jônatas seria o convite ou não dos filisteus para eles se aproximarem do acampamento. Jônatas entendeu que Deus estaria com ele e seu servo, por isso, Jônatas derrubava os soldados e o servo os matava. Mataram 20 soldados. Os demais filisteus ficaram com muito medo. Talvez pensassem que vários hebreus

1 Samuel 13

Capítulo 13: A impaciência e presunção de Saul
É difícil entender o texto original que diz que Saul tinha um ano quando começou a reinar. Houve uma alteração nas versões, por isso, encontramos a idade de 30 anos. Não muda o fato de que ele reinou, até o momento, dois anos. Saul liberou os homens para suas cidades, mas os convocou novamente para combater os filisteus, pois Jônatas, o filho de Saul, matou o comandante filisteu e eles souberam. Não há contradição no texto, pois Jônatas matou o comandante filisteu por ordem de Saul. Então, pode-se dizer também que Saul matou o comandante filisteu. A quantidade de soldados dos filisteus era assustadora para o exército de Israel, por isso, escondiam-se. O povo esperava Samuel, mas ele se demorou e o povo já não mantinha fidelidade ao rei Saul. O rei, para

1 Samuel 12

Capítulo 12: A exortação de Samuel para o povo de Israel
1.A missão de Samuel foi realizada sem vaidade, ciúme ou competição. Ele preparou e entregou o rei que o povo de Israel queria. O rei teve sucesso e autoridade logo no início. Teria tudo para continuar bem. A história de Samuel foi longa e virtuosa entre o povo de Israel. Ele foi um juiz, sacerdote e profeta exemplar. Não foi ganancioso. O apóstolo Paulo disse o mesmo diante dos tessalonicenses e coríntios. Todos reconheciam a integridade de Samuel. Ele estava justificado diante do Samuel. Como é bom cumprir uma tarefa, uma carreira e ser reconhecido pelas pessoas e muito mais pelo próprio Deus. Quando há uma narrativa a respeito da saída do Egito, podemos ter certeza que a seguir vem uma exortação ou promessa. O testemunho vitorioso do passado torna-se para o crente um incentivo ou uma acusação, caso não ande nos caminhos do Senhor. Samuel recorda com o povo a saída do Egito e os juízes, a idolatria, rebeldia e as libertações através dos

Baleia Azul - Blue Whale - Texto e Áudio

Baleia Azul-Blue Whale - Texto e Áudio
O que é, onde começou, por que esse nome, qual é o objetivo? Tem alguma coisa a ver comigo?

Saiba um pouco mais desse assunto que acabou chamando a atenção para um tema pouco discutido. Ouça o áudio e leia o texto. Esclareça para as crianças e adolescentes.


1 Samuel 11

Capítulo 11: A primeira grande vitória do rei Saul
O primeiro grande teste para o novo rei, o rei Saul, está prestes a acontecer. O rei dos amonitas em uma aliança com a cidade de Jabes atacariam Israel. As condições do acordo eram impossíveis, ou seja, os de Jabes deveriam sacrificar um de seus olhos. Para não se renderem na hora, os moradores de Jabes foram atrás de uma alternativa e chegaram até Saul. Saul, cheio de uma ira santa, mandou um recado a toda a nação de que ele e Samuel deveriam abraçar essa causa e lutar contra os amonitas. O povo de Jabes respondeu aos amonitas que se entregariam no dia seguinte, o que era mentira, apenas queriam ganhar tempo para que Saul e seu exército salvador os livrassem. Saul venceu os amonitas e ganhou crédito. Queriam matar todos os contrários ao reino de Saul, mas Saul

1 Samuel 10

Capítulo 10: O rei Saul é apresentado à nação de Israel
1.A unção do óleo sobre a cabeça de Saul simbolizava a consagração de Deus sobre o reinado de Saul. Ele não foi uma escolha precipitada e errada. Tudo foi dirigido por Deus através do profeta, sacerdote e juiz Samuel. As pessoas podem realmente receber todas as condições de realizar um excelente ministério e decepcionar. Por isso, Paulo diz para Timóteo que ele deve se lembrar da confissão que ele fez diante de muitas testemunhas e da imposição das mãos pelos presbíteros. Saul foi alvo das profecias de Deus, as jumentas seriam achadas e, de fato, o pai de Saul estaria preocupado com a ausência dele. Toda a preparação de Saul esteve envolvida com adoração e sacrifício a Deus. Primeiro ao encontrar Samuel e depois ao encontrar os três homens indo adorar em Betel. Ele também encontraria profetas adorando ao Senhor e o próprio Espírito Santo o

1 Samuel 9

Capítulo 9: O promissor Saul
1.Este episódio da nação de Israel é muito marcante, pois surge o primeiro rei humano. Até o momento, o povo era conduzido por Deus através do sistema Teocrático de governo, mas se instaurado agora o sistema Monárquico. A aparência de Saul era bonita. Vemos um padrão de beleza que a Bíblia não ignora. Saul era obediente ao pai, trabalhador e inteligente. Ele tem a tarefa de recuperar as jumentas perdidas do pai dele. Saul não era preguiçoso, mas insistente. Além disso, era um rapaz de bom senso, pois avaliou que não valia a preocupação do pai com Saul, caso demorasse demais procurando as jumentas. Porém, ouvia as pessoas, pois o empregado do pai que também era dele ofereceu alternativa e Saul considerou e acatou. Outra qualidade do jovem Saul era não ser

1 Samuel 8

Capítulo 8: A nação pede um rei
1.Todos envelhecem e isso também aconteceu com Samuel, o qual estamos mais acostumados como a criança que foi dedicada ao Senhor por sua mãe piedosa, Ana. Na Lei de Moisés, um levita podia se aposentar com 50 anos e depois disso era permitido que servisse como instrutor (consultor) dos mais jovens (Nm 8.24-26). Samuel dedicou os seus filhos para fazerem o que ele fazia como juiz. Os filhos Joel e Abias foram vergonha para Samuel, pois só pensavam em dinheiro. O mesmo que Eli passou, Samuel está passando, por isso, devemos orar uns pelos outros. Líderes que têm filhos rebeldes sempre abrem espaço para críticas. O povo de Israel, além de reprovar Samuel, por causa da velhice e dos filhos, pede um rei para governá-los. Evidentemente, Samuel

1 Samuel 7

Capítulo 7: A vitória de Samuel sobre os filisteus
1.A arca finalmente retorna ao território de Israel. Em Bete-Semes houve uma tragédia, pois os 70 homens desobedeceram e abriram a arca. Deus os exterminou. Os homens de Jearim buscaram a arca e colocaram na casa de Abinadabe. Eleazar, o filho de Abinadabe, ficou responsável em vigiar a arca. Talvez a arca tenha chegado até aquela família por serem levitas e de família sacerdotal. A arca ficou sete meses no território dos filisteus e vinte anos na casa de Abinadabe, em Jearim, território de Israel. As pessoas oravam e tinham a arca como proteção, porém, eram idólatras. Samuel disse que a verdadeira proteção vem da obediência a Deus. O homem confia em seus próprios recursos e usa a presença de Deus apenas com uma bênção adicional. Eles obedeceram ao conselho de

1 Samuel 6

Capítulo 6: A devolução da arca
1.Os filisteus se apropriaram da arca da aliança do Senhor Deus de Israel para a sua própria ruína. Agora achavam que ao devolvê-la deveriam enviar algum presente como forma de apaziguar a ira de Deus. Essa é a ideia pagã, a de que uma divindade precisa ser apaziguada. O número de presentes seria o número de governadores filisteus. Enviariam cinco tumores de ouro e cinco ratos também de ouro. Alguns pensam que, possivelmente, a doença era a peste bubônica, causada pelos ratos. Os filisteus lembraram muito bem do destino de Faraó por tentar resistir a Deus por tanto tempo. Os filisteus, como todos os animistas, acreditavam que a doença era causada por Deus e, por isso, estavam apaziguando, enviando presentes. No entanto, ainda carregavam suas crendices, por isso, enviaram a arca e os presentes em carros de bois. As vacas que puxariam o carro seguiriam

1 Samuel 5

Capítulo 5: A Arca de Deus tornou-se maldição contra os filisteus
Os filisteus acreditavam que a arca, além de estar longe dos israelitas, traria sorte a eles. Muitas pessoas se chegam até os símbolos e verdades do Cristianismo e se apegam por crendices e não por fé no Deus verdadeiro. Não havia fé verdadeira nos filisteus. Eles apenas colocaram a arca que simboliza a presença de Deus junto com seu deus Dagom. Num ato divino, a imagem de Dagom caiu em frente da Arca. Isso demonstra que os ídolos caem diante do Deus verdadeiro. Necessariamente, isso não acontecerá sempre e, por isso, não precisamos sair por aí derrubando imagens ou esperando que os ídolos se despedaçaram. Aqui foi uma demonstração do poder de Deus, mas ainda milhões de imagens de outros povos ficaram em pé. No segundo dia, novamente, Dagom caiu e desta vez ficou quebrado. Os sacerdotes, por causa disto, passaram a não pisar a soleira, mas pulá-la, pois Dagom tocou o chão ao cair a cabeça e braços ficaram na soleira. O profeta Sofonias menciona o poder de Deus sobre os ídolos (Sf 1.9). É muita ingenuidade pensar que seja possível

1 Samuel 4

Capítulo 4: Derrota nacional e tragédia familiar
1.Depois de um cenário aparentemente pacífico, isto é, sem guerras, quase nos esquecemos que o contexto do livro que estamos estudando é a época dos juízes e, por isso, ainda havia batalhas. Desta vez, e mais uma vez, contra os filisteus. A derrota de Israel nunca é normal. Sempre que acontece é devido a algum desajuste da liderança ou do povo. É sinal de desobediência. Os líderes, inconformados com a derrota, decidem que a presença da arca lhes dará a vitória. Os filhos de Eli foram junto com a arca para a batalha. Os filisteus temeram os gritos dos hebreus e a presença da arca, achando que estavam protegidos por algum deus poderoso. De fato, a história do Egito era tão famosa que os filisteus achavam que os mesmos “deuses” que deram vitória para Israel combateria

1 Samuel 3

Capítulo 3: A confirmação de Samuel e a desqualificação de Eli
1.Samuel estava aprendendo o trabalho do sacerdócio. As visões e revelações de Deus eram raras, portanto, Samuel não pegou uma época de facilidades. Eli era bem velho e cego. Samuel estava à noite dormindo ao lado da Arca de Deus, lugar propício para receber alguma visão ou mensagem de Deus. Lembramos de Zacarias que recebeu a visita de um anjo no seu turno. Deus falou com Samuel em uma época escassa de revelações divinas. Isso mostrava uma confirmação de Deus. O jovem que não estava acostumado ao ofício e menos ainda com as revelações de Deus buscou ajuda de Eli que o ignorou. Na terceira vez, Eli não pode ignorar que Deus estava falando com o jovem. Seria um grande desafio para Eli, reconhecer a aprovação de Deus sobre a vida de Samuel. O jovem Samuel

1 Samuel 2

Lição 2: Cântico de louvor. Filhos execráveis (deploráveis, abomináveis)
1.Ana foi uma vitoriosa na oração, pois lançou mão dos elementos necessários para a oração: pedir, esperar e agradecer. Ela reconheceu a santidade do Senhor e o vê como o protetor. Na oração dela percebe-se que o ser humilhada pelo Penina foi uma luta interior muito grande para ela. Porém, ela confiava Naquele que tudo vê e que, finalmente, julgará toda a arrogância. Como um pequeno exército fraco, Ana venceu o grande inimigo, pois Deus a fortaleceu para a batalha que enfrentou. Deus reverteu a história e o fraco se tornou forte, a estéril gerou filhos, o faminto ficou satisfeito, ao passo que o forte, a mãe e o farto ficaram fracos, sem filhos e famintos. Como Tiago disse, o soberbo será abatido. Deus tira a vida e chama o morto para fora do sepulcro, como aconteceu com Lázaro

1 Samuel 1

Capítulo 1: Poligamia, rivalidade e dedicação
1.Essa é uma história muito instrutiva sobre o padrão da poligamia acompanhado de muita dor de cabeça. Os homens atuais, promíscuos, também têm mais de uma esposa. Uma esposa oficial e outras que arrancam dele dinheiro, tempo, energia e, talvez, pensão. Elcana era um homem que cumpriu seus deveres religiosos, mas talvez como muitos, hoje, apenas para tranquilizar a consciência. Vemos que não era um homem de fé, mas de ritual. Sempre haverá uma preferência na poligamia e Elcana preferia Ana, como se vê pela porção de alimento que dava para ela. A rivalidade das mulheres haveria de qualquer forma, mas a esterilidade de Ana a deixava em desvantagem diante de Penina. Ana ficava tão triste que não comia naqueles dias, mesmo recebendo generosa porção de alimento (Sl 42.3). Elcana

1 Samuel - Introdução

Primeiro livro de Samuel
Introdução
A.Nome do livro
A Bíblia hebraica antiga considera esses dois livros como um só, assim como os livros dos Reis. Esse livro trata da vida de três personagens: Samuel, Saul e Davi. Samuel significa "seu nome é Deus" ou como alguns traduzem "ouvido de Deus". Embora o livro tenha o nome de Samuel, Davi é mais enfatizado. Samuel é considerado o último juiz (At 13.20) e o primeiro dos profetas (At 3.24). No VT era considerado, depois de Moisés, a pessoa mais importante dentre o seu povo (Jr 15.1). Foi também, o sucessor do sacerdote Eli, muito embora não fosse da linhagem araônica. Samuel ao que tudo indica foi o primeiro a criar uma escola para o treinamento de jovens para o ministério profético.

B.Autor

Rute - Introdução

O livro de Rute
Introdução[1]
Nome do livro
O nome do livro diz respeito à personagem principal, Rute, uma gentílica (moabita) que casou-se com um judeu. Deus usou Rute para continuar a descendência que culminaria na Pessoa do Messias. Esse livro explica a inclusão de uma gentílica na linhagem de Davi e mostra o grande alcance da graça de Deus, incluindo gentios em Seu plano para a nação de Israel e por fim, para o mundo todo. Rute foi a bisavó de Davi.

Autor

Rute 4

Capítulo 4: O casamento remidor
1.Todo o assunto será decidido às portas da cidade, onde os anciãos, os juízes da época, julgariam o caso. É um assunto de resgate de propriedades e não apenas um casamento. Boaz queria saber se teria alguma chance de resgatar Noemi, casando-se com Rute. A questão era Boaz versus o parente mais próximo de Noemi. As testemunhas foram chamadas, o tribunal estava estabelecido. As terras, por direito são de Noemi, mas de fato, apenas quando um parente próximo se ligar a ela por casamento para trazer de volta as propriedades. Boaz não se casaria com Noemi, evidentemente, mas através de Rute, Noemi seria resgatada. O concorrente de Boaz estava mais habilitado, pois era parente mais próximo. Ele aceitou resgatar as propriedades de Noemi. Boaz, portanto, não teria

Rute 3

Capítulo 3: As alegrias de se encontrar um Remidor
1.Para se entender a beleza do livro de Rute é necessário conhecer o contexto e as leis da remissão. A lei do levirato exigia que ao morrer o marido, o cunhado devia assumir a viúva para que ela gerasse filhos para que o nome do falecido não se perdesse. Essa era uma medida chamada “remissão”. Isto envolvia não apenas a continuidade da prole, mas a remissão de bens, terras e enfim da honra do nome. Noemi perdeu o seu marido, Elimeleque e os seus dois filhos, Malom e Quiliom. Ficou só ela e as duas noras, uma delas, a Rute, a acompanhou fielmente para não deixá-la desamparada. Mas duas mulheres sem descendentes e sem protetores não se estabeleceriam. Elas precisavam de um remidor. Um remidor devia ser parente, desejar remi-las e ter condições para isto. Um pecador está na mesma situação, abandonado e desesperado sem um remidor. Ele precisa de

Rute 2

Capítulo 2: Uma rebuscadora favorecida
1.Noemi tinha laços familiares em Belém. Ali seria a chance dela ser redimida. Porém, ela sendo idosa, não arrumaria um casamento e a nora, Rute era uma moabita. Tudo estava contra Noemi. Boaz era rico e solteiro. Como ele cumpriria a lei do levirato sobre Noemi? Rute estava pensando na sobrevivência delas. Talvez a mente dela não estivesse nos costumes judaicos. A visita às plantações tinha a ver com sobrevivência dos restos que a lei de Deus providenciava para os forasteiros, pobres, órfãos e viúvas. Ela acabou entrando nas plantações de Boaz. O plano de Deus estava em ação, desde a saída delas de Moabe e, agora, estava perto do desfecho. Boaz era um homem educado e temente a Deus, como se vê no cumprimento aos empregados. Ele também reparava nas pessoas,

Rute 1



Capítulo 1: As três viúvas

1.Não era nada fácil o que aquele pai de família deveria fazer. Parece-nos fácil julgar sobre a partida dele da terra do povo de Deus para uma terra idólatra. Talvez ele devesse continuar ali e confiar nos recursos de Deus. Foi na época dos juízes e sabemos que cada um fazia como achava ser o mais correto. Nem sempre os planos de fuga de uma situação saem como o esperado. Elimeleque morreu e deixou sua família em situação até pior. A esposa e os filhos e, agora, as noras ficaram ali 10 anos, em Moabe. Os filhos morreram e as três viúvas tinham que sobreviver. Noemi recebeu boas notícias de Israel quanto às colheitas e foi tentar a vida ali, retornando para o seu povo, de

Juízes 21

Capítulo 21: A solução para que a tribo de Benjamim continuasse
Para complicar a situação, veja o capítulo anterior, as 11 tribos não queriam deixar fazer aliança de casamento com os benjamitas. Seria uma questão de tempo, a tribo de Benjamim sumiria. Talvez um dos piores momentos para qualquer pessoa é ser rejeitada. Depois de passada a vingança, todos se sensibilizaram com a possibilidade de ter uma tribo a menos em Israel. Os habitantes de Jabes-Gileade não compareceram na Assembleia e, por isso, seriam mortos, mas ali havia 400 solteiras. Se a ordem de Deus já fora cumprida e Ele mesmo jamais intentou exterminar uma tribo, será que as terríveis consequências não bastavam? Teria necessidade de exterminar os ausentes da assembleia? Não estavam causando um mal muito maior por causa de um voto precipitado? Quanto

Juízes 20

Capítulo 20: O extermínio da tribo de Benjamim
A história do capítulo 19 continua aqui. Houve uma comoção nacional contra os gibeonitas que eram da tribo de Benjamim. A história foi recapitulada para todas as tribos saberem o que aconteceu. A guerra civil estava decretada. Nada disso precisava acontecer, pois o conselho das tribos não queria exterminar seus irmãos benjamitas. Apenas queriam que os malfeitores fossem entregues. Porém, por um orgulho e falta de senso de justiça os benjamitas preferiram defender aqueles homens maus. De fato, foi uma inconsequência, pois, naquele momento, eram 26 mil contra 400 mil. Não precisamos aqui torcer pelo mais fraco, pois Deus estava dirigindo as 11 tribos. Judá daria início à luta. O povo sentiu que a luta era desigual e que os benjamitas, seus irmãos, seriam apagados da família. No entanto, Deus

Juízes 19



 Lição 19: Os segredos dos corações dos homens

1.O coração do homem é cheio de segredos, os quais nem ele mesmo sabe, até serem revelados em sua vida. Deus sabe tudo o que acontece dentro de nós. Ele disse que o nosso coração é enganoso e desesperadamente corrupto. No capítulo 19 do livro dos Juízes, vemos seis segredos dos corações dos homens. Dois segredos são bons, que é o perdão e a hospitalidade, mas os outros quatros são tão tristes e repugnantes que até para falar temos medo e dificuldade. Como a Palavra de Deus não esconde esses segredos e fazemos bem em estudar todo o desígnio de Deus, pois nos é útil para o

Juízes 18

Capítulo 18: O sequestro do sacerdote
Todas as tribos receberam sua parte da herança, mas no início cada qual deveria lutar e conquistar o seu espaço. No início, as coisas não são fáceis, mas tornam-se memoráveis por isso mesmo. Devemos retornar para os pequenos inícios e não desprezá-los (veja Zc 4.10). Mica volta para nossa história, pois ali que os espias danitas ficaram. Notaram a presença de um levita ali e queriam, através dele, saber a direção de Deus. As pessoas precisam de direção e os religiosos ainda são muito procurados. Neste caso, a direção foi certeira. Se deu certo, por que não continuar com aquelas orientações? Por isso, os guerreiros queriam o sacerdote com suas roupas e ídolo caseiro (terafim). Assim é a humanidade, o que está dando certo precisa ser tomado e quanto mais melhor. Assim se deu o início da herança de Dã. Não nos admira que o nome deles foi excluído dos 144 mil

Juízes 17

Capítulo 17: A família de Mica
Um acontecimento muito estranho, mas o que o que não é estranho quando não há o temor de Deus nos corações? Sem um direcionamento de pessoas fiéis, sem modelos de caráter e vida com Deus, a sociedade se perde em suas idolatrias. Essa mãe foi tola, mesmo querendo ser grata pelo que o filho fez, ou seja, ter confessado que o dinheiro foi roubado por ele mesmo. Mica e sua mãe não andaram nos caminhos de Deus, por isso, deram-se àquela idolatria. Até um levita se corrompeu aceitando trabalhar como sacerdote por algum dinheiro. Vemos um sincretismo, que é uma mistura de crenças, naqueles dias como é comum hoje em dia também. As pessoas misturam o que pensam que é certo com a Palavra de Deus. Por isso, os crentes precisam se certificar se estão ganhando

Juízes 16

Lição 16: O auge do pecado e da vitória de Sansão como libertador
1.Ninguém pode se conhecer ou conhecer outra pessoa apenas no modo como se relaciona com as pessoas publicamente. Os bastidores consistem no modo íntimo de como vive alguém. Os bastidores são as mobílias de uma peça teatral, aquilo que o público não vê, mas que formam o espetáculo. Nos bastidores está a realidade e no palco está a ficção. Sansão foi um homem forte fisicamente e fraco moralmente. A vida pública e particular dele foi vergonhosa. Ele devia livrar o povo de Israel dos filisteus e acabou fazendo, pois Deus o escolheu para isto, porém, não deixou nenhum exemplo de obediência a Deus. Isto mostra que não basta fazer o que tem de ser feito, mas que devemos fazer o bem para glorificar a Deus. A política deve aos homens dos bastidores a sua ascensão e queda. A imagem de um político é construída a partir dos bastidores, onde estrategistas

Juízes 15

Capítulo 15: A força descomunal de Sansão vinha de Deus
Sansão não podia ser deixado para trás. Ele não era tão pacífico como foi Jacó quando foi enganado por Labão. Roubar-lhe a esposa era demais e, por isso, Sansão, engenhosamente se vingou dos filisteus. Não era somente força, mas também estratégia e inteligência destacavam Sansão. As amarras são inúteis para segurarem Sansão. Ele se deixava amarrar apenas para zombar dos seus inimigos, fazendo-os temer mais ainda. Sansão era destemido. Mil homens não eram suficientes para segurá-lo. Novamente a graça de Deus se mostrou a Sansão fornecendo a ele água em

Juízes 14

Capítulo 14: A vida desenfreada de Sansão superada somente pela graça de Deus
Duas fraquezas evidentes de Sansão: fama e mulheres. Ele gostava de se diverte às custas dos outros, de mostrar sua força e conquistar as mulheres. Os pais até tentavam colocá-lo no caminho piedoso, mas Sansão era desenfreado. É extraordinário como Deus usa pessoas, mesmo quando elas não andam no caminho do Senhor. É um desafio para a compreensão e só podemos entender com o conhecimento e reconhecimento da graça de Deus. Ele usa as pessoas, não pelo que elas têm para oferecer, nem mesmo sua piedade e boa conduta, mas apenas por sua graça maravilhosa. Isso é uma ofensa para os legalistas, mas um consolo para os que se sentem incapazes e indignos. Sansão realiza os grandes feitos por causa do Espírito Santo que se apoderava dele para a obra de Deus. Sansão destruía todos os princípios da boa conduta. Ele tocou em carcaça de leão, ou seja,