2 Crônicas 36

Capítulo 36: Os últimos dias de Judá antes do cativeiro
1.Deus usa até mesmo incrédulos quando deseja estabelecer alguma disciplina sobre os seus filhos. Neco, o rei do Egito, foi um exemplo disso. O filho de Josias, Joacaz não durou mais do que três meses, pois foi preso por Neco, o qual colocou Eliaquim como rei. O nome de Eliaquim foi mudado por Neco para Jeoaquim (v.1-8).

2.A Babilônia levou Jeoaquim cativo. O Egito perdeu o poder para a Babilônia. Aqui começa a leva

2 Crônicas 35

Capítulo 35: A Páscoa e a morte de Josias
Josias mandou celebrar a Páscoa que estava esquecida e eliminou todo o tipo de feitiçaria do reino. Estranhamente, Josias morreu numa batalha na qual o rei do Egito estava indo em direção ao rei da Assíria. Quando lemos apenas 2 Reis ficamos, de certo modo, desapontados, pois todos os servos de Deus fiéis no Antigo Testamento não têm morte assim, parecendo a morte de um infiel. Porém, aqui em 2 Cr 35.20-27, tudo fica claro. O rei do Egito estava atacando a Assíria a mando do Deus

2 Crônicas 34

Capítulo 34: Josias, o rei reformador
1.O rei Josias reuniu a liderança e fez com que todos se comprometessem em servir fielmente ao Senhor. Esse apelo resultou em purificação de toda a aparência do mal no templo. Os sacerdotes infiéis e idólatras foram destituídos. Proibiu o sacrifício de crianças a Moloque. Até animais eram dedicados ao sol, mas Josias mandou tirar esses cavalos da entrada do templo. As idolatrias instituídas pelo rei Salomão foram tiradas também. O rei Josias eliminou com fogo até os ossos que

2 Crônicas 33


Capítulo 33: O reinado de Manassés, o rei que muito pecou, mas se arrependeu
1.Todo o trabalho que o rei Ezequias teve para purificar a nação da idolatria, Manassés despreza e retorna com força a idolatria de Acabe e Baal. Todo o tipo de adivinhação foi bem recebida no reinado de Manassés. Ele também sacrificou os próprios filhos nessas adorações. Deus anunciou o juízo sobre Judá no reinado de Manassés. O juízo seria o cativeiro. De modo surpreendente lemos um importante relato do arrependimento e oração de Manassés. Deus o perdoou. Manassés tentou

2 Crônicas 32

Capítulo 32: A provocação de Senaqueribe a Ezequias e à nação de Judá
1.O rei Ezequias passou um tempo difícil, quando Senaqueribe, o rei da Assíria invadiu Judá. Ele ofereceu portas do templo e outras riquezas para apaziguar o rei Senaqueribe. Era muita humilhação. Rabsaqué, o mensageiro de Senaqueribe fez exigências e zombou de Judá e do rei Ezequias. Rabsaqué ameaçou Ezequias dizendo que nenhum deu das outras nações conseguiram frear a Assíria e que o Deus de Israel também não conseguiria. Aqui lemos a resistência do rei

2 Crônicas 31

Capítulo 31: As contribuições
O rei Ezequias colocou ordem também nas contribuições para os sacerdotes e levitas, tanto para sacrificarem quanto para o sustento pessoal. Depósitos foram feitos e também os registros das famílias dos sacerdotes. Não apenas os sacerdotes em exercício recebiam, mas também os

2 Crônicas 30

Capítulo 30: A celebração da Páscoa
Lemos aqui como o rei Ezequias convocou os levitas para se purificarem e servirem ao Senhor. Eles obedeceram ao rei e fizeram tudo com alegria, inclusive celebrando a Páscoa. O anúncio e preparação da Páscoa deu bastante trabalho, mas valeu a pena. Os que não puderam participar da Páscoa na primeira chamada, tiveram a oportunidade de celebrar um mês depois, conforme ensina

2 Crônicas 29

Capítulo 29: O rei Ezequias, o rei que abriu o templo
A história do rei Ezequias é muito rica em detalhes. Aqui em Crônicas cobre os capítulos 29-32 (4 capítulos) e em 2 Reis, a história de Ezequias toma três capítulos (2 Rs 18-20). O rei Ezequias é o exemplo claro de que um filho não precisa seguir o exemplo mau do pai. Ezequias foi fiel igual ao modelo de todos os reis, o rei Davi. Destruiu os ídolos, até a serpente de bronze que ainda estava em poder do povo de Judá, chamada Neustã. O rei Ezequias foi único. Igual a ele, somente o rei

2 Crônicas 28

Capítulo 28: O rei Acaz, idólatra irremediável
Acaz extrapolou a perversidade em Judá ao queimar os próprios filhos como sacrifício e praticar toda a espécie de idolatria. Deus usou o profeta Odede para repreender Acaz. O reino do norte causou muita destruição em Judá nessa época. Acaz ofereceu ao rei da Assíria as riquezas da Casa do Senhor, mas isso não o ajudou. O rei Acaz era totalmente comprometido com a idolatria (v.1-27).

“Nesse tempo os sírios de Damasco tinham sido conquistados pelos assírios sob o comando de Tiglate-Pileser (2 Rs 16.9), assim a declaração precisa ser corrigida lendo ‘reis da Assíria’ (Assur) para ‘reis da

2 Crônicas 27

Capítulo 27: O rei Jotão, poderoso por ser obediente a Deus
1.Jotão não foi pretencioso igual ao pai. Ele não entrou no templo, pois sabia se colocar no lugar de rei que embora tivesse toda a autoridade, o templo era o seu limite. Somente os sacerdotes e levitas entravam no templo para os serviços da adoração. Jotão, de fato, serviu a Casa do Senhor de modo diferente, ou seja, patrocinando as obras para o templo, como a porta e muros. Ele teve vitórias

2 Crônicas 26

Capítulo 26: O reinado de Uzias, o rei que também caiu porque ficou orgulhoso
1.Aqui lemos a história de Uzias, filho de Amazias, rei de Judá. Com apenas 16 anos começou a reinar. Teve um reinado longo de 52 anos. Ele buscou ao Senhor e Deus o abençoou por isso. Venceu os filisteus, resgatou cidade, construiu outras no território dos filisteus. Ele venceu árabes, recebeu presentes dos amonitas. Ele dava atenção especial à agricultura. Tinha um exército forte de homens habilidosos. Incentivou a fabricação de armas de guerra. Ele se tornou bem famoso. O problema é

2 Crônicas 25

Capítulo 25: O reinado de Amazias, o rei que ficou orgulhoso depois da vitória
1.Amazias não era um rei mau, porém, não foi fiel igual a Davi, a base de todos os reis de Judá. Amazias matou os assassinos do pai dele, mas cumpriu a Lei de Moisés e poupou os filhos dos assassinos. Ele venceu Edom e desafiou o reino do norte para uma batalha. O modo como Amazias venceu os edomitas foi espetacular. Ele pagou homens, mas Deus não queria que ele usasse os soldados pagos. Deus daria muito mais a ele do que foi pago. Depois dessa batalha, Amazias se

2 Crônicas 24

Capítulo 24: O reinado de Joás
1.Joás foi um rei piedoso e longínquo. Reinou por quarenta anos. Ele não conseguiu ou não quis destruir todos os lugares pagãos de adoração do povo. Porém, ele não era idólatra e não incentiva o povo à idolatria. Ele usou muito bem o dinheiro público, ofertas do templo para reformá-lo. O dinheiro arrecado para reformas, durante 23 anos, não foi usado, por isso, Joás mesmo cuidou disso e administrou o dinheiro de maneira correta, para os consertos do templo. Com isso, a obra de Deus

2 Crônicas 23

Capítulo 23: Joás, o rei menino
Quando o menino fez 7 anos, para a surpresa de todos, foi apresentado para ser o rei legítimo. O sacerdote Joiada teve grande participação convocando os guardas, em seus turnos, para protegerem o menino Joás. Joiada coroou Joás e o povo aceitou. Atalia não gostou e viu aquilo como traição. Quem era ela para falar de traição? Mas assim são os usurpadores. Atalia foi morta fora do templo e

2 Crônicas 22

Capítulo 22: Jeú mata Acazias e Atalia, a mãe de Acazias usurpa o trono
O filho de Jeorão, Acazias, ficou no lugar dele. Acazias, também aparentado de Acabe, seguiu os caminhos maus. Jeú matou Acazias e os que o serviam. Atalia, a mãe de Acazias, mandou matar toda a família real para se tornar a rainha, mas a tia de Joás protegeu o menino durante seis anos numa

2 Crônicas 21

Capítulo 21: Jeorão, um rei que não deixou saudades a ninguém
1.Jeorão era filho de um rei piedoso, mas seguiu os caminhos do rei perverso Acabe, pois era casado com a filha de Acabe. O rei Jeorão matou todos os seus irmãos.  Porém, Deus não destruíria Judá, mesmo tendo reis maus, pois Deus prometera que dali sairia o Messias de Israel. Jeorão levou a nação de Judá à idolatria. O profeta Elias, enquanto estava na terra ainda, mandou uma carta de exortação a Jeorão. No conteúdo da carta estava uma comparação que Elias fez de Jeorão com os irmãos, dizendo que eles eram melhores do que ele. A carta também dizia que o povo sofreria muito

2 Crônicas 20

Capítulo 20: Josafá, um rei que buscava ao Senhor
Josafá temia ao Senhor e o buscava, mas isso não significava invulnerabilidade. Ele tinha medo de ameaças como qualquer um de nós. No entanto, quando isso acontecia, ele buscava ao Senhor. Ele levou todo o Judá a buscar ao Senhor e jejuar. A oração dele exaltava o poder de Deus em forma de perguntas, as quais já sabemos a resposta. Josafá confiava nos planos de Deus desde Abraão e, por isso, sabia que Deus tinha todo o interesse em vencer a batalha de Judá contra Moabe e Amom. O rei Josafá reconhecia que nele e no povo não havia forças contra os inimigos. Nessa oração, todo o Judá estava presente, inclusive mulheres e crianças. O Espírito do Senhor respondeu através dos

2 Crônicas 19

Capítulo 19: Josafá, um rei organizado e piedoso
1.Josafá não deveria ter apoiado Acabe, pois era perverso. Por isso, ele foi repreendido pelo profeta Jeú. Josafá continuou a praticar o bem, nomeando juízes na nação e incentivando todos a buscarem ao Senhor. Josafá orientou os juízes a não aceitarem o suborno e a não julgarem com parcialidade. Ele deixou claro, com o profundo conhecimento que tinha de Deus em seu relacionamento que se os juízes forem desonestos a ira de Deus cairia sobre eles. O rei Josafá separou bem as funções dos

2 Crônicas 18

Capítulo 18: Josafá faz aliança com Acabe devido ao parentesco
1.O encontro de Josafá com Acabe trouxe um assunto político, ou seja, a Síria tem autoridade de ficar com uma cidade de Judá? Acabe estava disposto a recuperar a cidade junto com Josafá. Os dois reis eram aparentados. Josafá e Acabe entraram num acordo para tomarem a cidade de volta. Tiveram a feliz ideia de consultar a Deus antes de qualquer ataque. Os profetas consultados foram favoráveis ao ataque. Josafá queria a garantia de mais um profeta. Isso indica algo muito significativo. Acabe sempre esteve longe do Senhor, então, o rei Josafá teria mesmo que duvidar dos profetas ao redor dele. O texto a seguir mostrará que os profetas estavam mentindo. Acabe não

2 Crônicas 17

Capítulo 17: O rei Josafá
1.Josafá amava ao Senhor e imitou Davi na obediência a Deus. O povo amava Josafá. Ele foi muito querido de todos e ganhava muitos presentes. Josafá tinha tudo o que um rei poderia sonhar, glória, prosperidade e aceitação do povo. O rei Josafá promoveu o ensino da Lei em todas as cidades, valorizando a Palavra de Deus e os sacerdotes. As nações vizinhas tinham muito medo de Josafá e,

2 Crônicas 16

Capítulo 16: A aliança mortal de Asa com Ben-Hadade
A aliança de Asa com Ben-Hadade trouxe consequências sérias para o reino e para a própria saúde de Asa. Em vez de confiar em Deus, Asa confiou no rei da Síria. Aqui em Crônicas, vemos que o profeta Hanani o repreendeu, mas Asa não aceitou a repreensão e mandou prender o profeta. Asa edificou cidades para estabelecer Judá. Ele adoeceu dos pés, mas não buscou ao Senhor e morreu

2 Crônicas 15


Capítulo 15: As reformas religiosas de Asa
A ordem era muito simples. Se Asa buscasse ao Senhor, seria abençoado, senão sofreria as consequências. Israel estava sem sacerdote por muito tempo. Porém, ao buscarem o Senhor, Ele os ouviu. O contexto era de muita destruição, irmão contra irmão. Asa começou uma reforma e purificação em Israel, unindo os irmãos. As pessoas entraram em aliança com Deus para obedecer-

2 Crônicas 14


Capítulo 14: O reinado de Asa
Asa foi reto e agradou ao Senhor. Ele limpou a idolatria do meio do povo de Judá. É importante saber que há diferença entre os postes-ídolos e todo o tipo de adoração aos deuses falsos com os lugares altos. Os lugares altos eram os altares, antes de haver Templo. Os reis ficavam em dúvida se deveriam destruí-los ou não, mas esses altares não eram idólatras. Ele teve a coragem de destituir a mãe dele do título de rainha-mãe. Ele entregou os objetos de valor da Casa do Senhor para Ben-Hadade, rei da Síria a fim de fazer uma aliança contra o Egito. Aqui em Crônicas, vemos que o

2 Crônicas 13


Capítulo 13: O reinado de Abias
1.Uma vela que se queima totalmente tem o poder de iluminar um ambiente enquanto está acessa somente. Para que a luz continue esta vela precisa acender outra, a qual acenderá outra e assim por diante. A nação de Judá e Israel sempre tiveram lâmpadas, mas graças à misericórdia de Deus que acendeu a primeira vela que foi o rei Davi. Depois dele vieram outros reis, os quais foram pais e a lâmpada sempre ficou acessa por amor a Davi (1 Rs 11.36). Nebate acendeu uma lâmpada que em

2 Crônicas 12


Capítulo 12: A invasão do Egito e os pecados de Roboão
1.Como forma de juízo, Deus enviou o rei do Egito para invadir e roubar os pertences da Casa do Senhor em Judá. Os escudos tão famosos e conhecidos, customizados, foram substituídos por escudos de material inferior, bronze. Mesmo assim, esses escudos de bronze eram usados apenas em ocasião especial, quando o rei entrava na Casa do Senhor. As brigas entre Jeroboão e Roboão

2 Crônicas 11

Capítulo 11: Roboão e sua estratégia
1.Roboão tentou ser rei sobre as 12 tribos à força, mas o profeta Semaías, usado por Deus, pacificou o que seria uma guerra civil. Roboão fortificou várias cidades. Essas cidades estavam bem vigiadas, pois também eram cidades-depósitos. Jeroboão tinha expulsado os levitas e sacerdotes, mas Roboão os aceitou de volta. Roboão andou três anos com o Senhor e o reino de Judá foi

2 Crônicas 10

Capítulo 10: A divisão do reino
1.Roboão é aclamado pelo povo para ser rei. A esperança do povo é sempre ter um governo que facilite as coisas, diminuindo impostos, dando mais liberdade no livre comércio e facilitando a convivência pacífica no reino. O povo sentia que Salomão havia maltratado o povo com cargas de trabalho e tributo. É fácil acreditar nisso, pois para manter todas as construções e luxo do reino, Salomão usou muitos súditos. Samuel já havia profetizado isso quando o povo escolhera um rei para si. Roboão buscou conselho dos mais velhos para dar uma resposta ao povo. Os mais experientes

2 Crônicas 9

Capítulo 9: A rainha de Sabá
1.A rainha de Sabá era a governante de algum país do norte da arábia. Como era comum com os soberanos da época, e até hoje, essas visitas diplomáticas eram acompanhadas com presentes como forma de gentileza e ostentação. A rainha devia ter perguntas prontas, dela mesma ou de outros de seu país. Salomão não ficou em apuros em nenhum momento. Ele conseguiu responder a todas as perguntas. Deus cumpriu o desejo de Salomão dando-lhe sabedoria. A rainha não apenas ficou

2 Crônicas 8

Capítulo 8: A edificação de cidades-armazéns e outras atividades do reino
Salomão também construiu cidades e assentou o povo nelas. Edificou cidades-depósitos e fortificações. Salomão não matou os descendentes dos antigos habitantes de Canaã, mas poupou os que restavam dando a eles trabalhos mais pesados. Salomão não escravizou o povo judeu. Salomão tinha consciência de que as mulheres com as quais ele casou não eram dignas de ficar nos lugares

2 Crônicas 7

Capítulo 7: A glória enche o templo e o Senhor faz aliança com Salomão
1.Deus confirmou a oração de Salomão fazendo descer fogo do céu e consumindo o holocausto. A glória do Senhor tomou conta do templo. A casa é do Senhor, por isso, Ele mostra quem Ele é. Assim foi a dedicação do Templo. O altar ficou pequeno para a quantidade de sacrifícios e ofertas ao Senhor, por isso, Salomão usou o pátio do Templo. O povo veio de todo o país, ficou ali sete dias e

2 Crônicas 6

Capítulo 6: Salomão cumpre sua tarefa de construir o templo e ora a Deus
1.Os louvores são confundidos com aquilo que nos agrada, por exemplo, uma música que inspira. Isto pode ser verdade, pois podemos louvar a Deus com a música e esta nos agrada. Mas o louvor é antes de tudo aquilo que agrada a Deus. Os interesses de Deus devem ser os interesses daqueles que O amam. Temos vários motivos para louvar a Deus por aquilo que Ele tem feito por nós. Mas o louvor é cheio de responsabilidade, pois o que Ele faz pela humanidade exige a resposta do homem. Ele é o Criador. O homem não teve nenhuma responsabilidade na criação, porém, hoje, sua

2 Crônicas 5

Capítulo 5: A arca, o objeto mais importante do templo
O objeto tão aguardado para o Templo teve um cortejo especial. A arca da aliança foi levada pelos líderes da nação do lugar onde estava em Jerusalém até o Templo. Juntou esse evento com a Festa dos Tabernáculos. Sacrifícios incontáveis foram oferecidos diante da arca. Podiam-se ver os cabos da arca, mas não a arca que representava a presença de Deus. Dentro da arca não havia mais o pote de maná e a varão de Arão, mesmo assim a confirmação de Deus surgiu assim que colocaram a arca no

2 Crônicas 4

Capítulo 4: Utensílios do templo
Mais uma vez vemos a humildade de Salomão buscando um estrangeiro para trabalhar com bronze. Ele buscava pessoas capazes por sua capacidade e não por parentesco ou nacionalismo. Neste capítulo há uma lista detalhada das mobílias do Templo. Salomão não se esqueceu de colocar os objetos valiosos de Davi. O que é do Tesouro da nação deve ser conservado no lugar apropriado. No momento que escrevo este material, leio uma notícia de que o ex-presidente do Brasil carregou 21

2 Crônicas 3

Capítulo 3: A edificação do templo
Os detalhes da construção do Templo estão nos próximos versículos. O povo de Israel teve o seu primeiro templo somente após 480 anos. Isso mostra que a adoração a Deus não está ligada a um edifício ou construção. Em honra e respeito a Deus e Sua casa, não deveria haver bagunça e barulho nem mesmo na construção, por isso, as pedras eram trabalhadas fora daquele lugar e somente trazidas prontas para montar. Se Salomão vivesse de maneira correta, Deus estaria à disposição a

2 Crônicas 2

Capítulo 2: Hirão, o amigo do pai de Salomão
Salomão não desprezou as amizades do pai, antes usou essas amizades para o benefício do reino. Hirão era um homem capaz e Salomão confiou a ele o fornecimento de madeiras para a construção do Templo. Davi não construiu o Templo por estar muito envolvido com guerras, mas Salomão usufruía de um templo maravilhoso de paz e, por isso, empenhou-se na construção do Templo. Salomão tinha um reino próspero, mas ainda assim, reconhecia que não havia homens talentosos com madeira bruta como Hirão. Isso nos ensina que a sabedoria anda junto com a humildade. É

2 Crônicas 1

Capítulo 1: A prosperidade do reino de Salomão
1.Salomão teve um reino próspero, não por forças próprias, mas porque Deus estava abençoando. Salomão consultava ao Senhor junto com o povo. Salomão reconheceu a bondade de Deus em dar-lhe tudo, o reino, a paz e o legado de Davi. O pedido de Salomão foi por sabedoria para conduzir o povo de Israel. Deus ficou satisfeito com o pedido de Salomão, pois não estava cheio de interesse próprio como normalmente acontece com as pessoas. A sabedoria que ele pediu não era para ser

2 Crônicas - Introdução

2 Crônicas

Introdução[1]
1.No original hebraico este livro começa com o conectivo “e”, mostrando, assim, a continuidade da narração histórica, pois, como já vimos, 1 e 2 Crônicas formavam um só livro. As informações sobre data, autor, ênfase, omissões e adições seguem o mesmo que o 1º livro das Crônicas. 2 Crônicas cobre um período de 400 anos. Na ordem dos livros no cânon hebreu o Velho Testamento termina com 2

1 Crônicas 29

Capítulo 29: As ofertas, a oração, a proclamação do rei e a morte de Davi
1.Davi sabia que o filho dele, Salomão, precisaria de ajuda, pois era muito jovem ainda. Uma declaração poderosa de Davi é que o palácio não é para homens, mas para o Senhor. Alguém pode pensar que o raciocínio deveria ser o palácio não é para criança, mas para homem. No entanto, Davi vê a obra de Deus como algo consagrado e não humanista. Davi ofertou de seus tesouros particulares para a obra de Deus. Com esse testemunho, a liderança de Israel, voluntariamente, contribuiu para a construção do templo. Nada forçado, ninguém esfolado financeiramente, como, às

1 Crônicas 28

Capítulo 28: Salomão é apresentado como o sucessor do rei Davi
1.Essa foi uma transição sábia, quando o monarca não deixa o reino sem sucessor, mas deixa tudo preparado para quando morrer, o filho Salomão assumir. Sabemos que quando Davi estava velho e fraco, na cama, o filho Adonias tentou usurpar o trono. Natã e Bateseba tiveram um papel fundamental. De qualquer maneira, essa cerimônia, do capítulo 28 e 29, selam o desejo do rei Davi e

1 Crônicas 27

Capítulo 27: Os turnos
1.O trabalho daqueles que lidavam com os negócios do rei, a administração geral do reino, era realizado de mês em mês. Esses administradores do reino eram divididos em 24 mil pessoas cada turno. Eram, portanto, 288 mil administradores, trabalhando 24 mil em cada mês. Sendo assim, a primeira turma só repetiria seu trabalho específico 12 meses depois de ter servido. Isso nos dá uma ideia da dimensão do reino. O trabalho desses administradores devia beneficiar todo o reino. Um modelo de administração pública. De cada tribo de Israel, Deus mandou separar um chefe. Talvez