2 Crônicas 15


Capítulo 15: As reformas religiosas de Asa
A ordem era muito simples. Se Asa buscasse ao Senhor, seria abençoado, senão sofreria as consequências. Israel estava sem sacerdote por muito tempo. Porém, ao buscarem o Senhor, Ele os ouviu. O contexto era de muita destruição, irmão contra irmão. Asa começou uma reforma e purificação em Israel, unindo os irmãos. As pessoas entraram em aliança com Deus para obedecer-

2 Crônicas 14


Capítulo 14: O reinado de Asa
Asa foi reto e agradou ao Senhor. Ele limpou a idolatria do meio do povo de Judá. É importante saber que há diferença entre os postes-ídolos e todo o tipo de adoração aos deuses falsos com os lugares altos. Os lugares altos eram os altares, antes de haver Templo. Os reis ficavam em dúvida se deveriam destruí-los ou não, mas esses altares não eram idólatras. Ele teve a coragem de destituir a mãe dele do título de rainha-mãe. Ele entregou os objetos de valor da Casa do Senhor para Ben-Hadade, rei da Síria a fim de fazer uma aliança contra o Egito. Aqui em Crônicas, vemos que o

2 Crônicas 13


Capítulo 13: O reinado de Abias
1.Uma vela que se queima totalmente tem o poder de iluminar um ambiente enquanto está acessa somente. Para que a luz continue esta vela precisa acender outra, a qual acenderá outra e assim por diante. A nação de Judá e Israel sempre tiveram lâmpadas, mas graças à misericórdia de Deus que acendeu a primeira vela que foi o rei Davi. Depois dele vieram outros reis, os quais foram pais e a lâmpada sempre ficou acessa por amor a Davi (1 Rs 11.36). Nebate acendeu uma lâmpada que em

2 Crônicas 12


Capítulo 12: A invasão do Egito e os pecados de Roboão
1.Como forma de juízo, Deus enviou o rei do Egito para invadir e roubar os pertences da Casa do Senhor em Judá. Os escudos tão famosos e conhecidos, customizados, foram substituídos por escudos de material inferior, bronze. Mesmo assim, esses escudos de bronze eram usados apenas em ocasião especial, quando o rei entrava na Casa do Senhor. As brigas entre Jeroboão e Roboão

2 Crônicas 11

Capítulo 11: Roboão e sua estratégia
1.Roboão tentou ser rei sobre as 12 tribos à força, mas o profeta Semaías, usado por Deus, pacificou o que seria uma guerra civil. Roboão fortificou várias cidades. Essas cidades estavam bem vigiadas, pois também eram cidades-depósitos. Jeroboão tinha expulsado os levitas e sacerdotes, mas Roboão os aceitou de volta. Roboão andou três anos com o Senhor e o reino de Judá foi

2 Crônicas 10

Capítulo 10: A divisão do reino
1.Roboão é aclamado pelo povo para ser rei. A esperança do povo é sempre ter um governo que facilite as coisas, diminuindo impostos, dando mais liberdade no livre comércio e facilitando a convivência pacífica no reino. O povo sentia que Salomão havia maltratado o povo com cargas de trabalho e tributo. É fácil acreditar nisso, pois para manter todas as construções e luxo do reino, Salomão usou muitos súditos. Samuel já havia profetizado isso quando o povo escolhera um rei para si. Roboão buscou conselho dos mais velhos para dar uma resposta ao povo. Os mais experientes

2 Crônicas 9

Capítulo 9: A rainha de Sabá
1.A rainha de Sabá era a governante de algum país do norte da arábia. Como era comum com os soberanos da época, e até hoje, essas visitas diplomáticas eram acompanhadas com presentes como forma de gentileza e ostentação. A rainha devia ter perguntas prontas, dela mesma ou de outros de seu país. Salomão não ficou em apuros em nenhum momento. Ele conseguiu responder a todas as perguntas. Deus cumpriu o desejo de Salomão dando-lhe sabedoria. A rainha não apenas ficou

2 Crônicas 8

Capítulo 8: A edificação de cidades-armazéns e outras atividades do reino
Salomão também construiu cidades e assentou o povo nelas. Edificou cidades-depósitos e fortificações. Salomão não matou os descendentes dos antigos habitantes de Canaã, mas poupou os que restavam dando a eles trabalhos mais pesados. Salomão não escravizou o povo judeu. Salomão tinha consciência de que as mulheres com as quais ele casou não eram dignas de ficar nos lugares

2 Crônicas 7

Capítulo 7: A glória enche o templo e o Senhor faz aliança com Salomão
1.Deus confirmou a oração de Salomão fazendo descer fogo do céu e consumindo o holocausto. A glória do Senhor tomou conta do templo. A casa é do Senhor, por isso, Ele mostra quem Ele é. Assim foi a dedicação do Templo. O altar ficou pequeno para a quantidade de sacrifícios e ofertas ao Senhor, por isso, Salomão usou o pátio do Templo. O povo veio de todo o país, ficou ali sete dias e

2 Crônicas 6

Capítulo 6: Salomão cumpre sua tarefa de construir o templo e ora a Deus
1.Os louvores são confundidos com aquilo que nos agrada, por exemplo, uma música que inspira. Isto pode ser verdade, pois podemos louvar a Deus com a música e esta nos agrada. Mas o louvor é antes de tudo aquilo que agrada a Deus. Os interesses de Deus devem ser os interesses daqueles que O amam. Temos vários motivos para louvar a Deus por aquilo que Ele tem feito por nós. Mas o louvor é cheio de responsabilidade, pois o que Ele faz pela humanidade exige a resposta do homem. Ele é o Criador. O homem não teve nenhuma responsabilidade na criação, porém, hoje, sua

2 Crônicas 5

Capítulo 5: A arca, o objeto mais importante do templo
O objeto tão aguardado para o Templo teve um cortejo especial. A arca da aliança foi levada pelos líderes da nação do lugar onde estava em Jerusalém até o Templo. Juntou esse evento com a Festa dos Tabernáculos. Sacrifícios incontáveis foram oferecidos diante da arca. Podiam-se ver os cabos da arca, mas não a arca que representava a presença de Deus. Dentro da arca não havia mais o pote de maná e a varão de Arão, mesmo assim a confirmação de Deus surgiu assim que colocaram a arca no

2 Crônicas 4

Capítulo 4: Utensílios do templo
Mais uma vez vemos a humildade de Salomão buscando um estrangeiro para trabalhar com bronze. Ele buscava pessoas capazes por sua capacidade e não por parentesco ou nacionalismo. Neste capítulo há uma lista detalhada das mobílias do Templo. Salomão não se esqueceu de colocar os objetos valiosos de Davi. O que é do Tesouro da nação deve ser conservado no lugar apropriado. No momento que escrevo este material, leio uma notícia de que o ex-presidente do Brasil carregou 21

2 Crônicas 3

Capítulo 3: A edificação do templo
Os detalhes da construção do Templo estão nos próximos versículos. O povo de Israel teve o seu primeiro templo somente após 480 anos. Isso mostra que a adoração a Deus não está ligada a um edifício ou construção. Em honra e respeito a Deus e Sua casa, não deveria haver bagunça e barulho nem mesmo na construção, por isso, as pedras eram trabalhadas fora daquele lugar e somente trazidas prontas para montar. Se Salomão vivesse de maneira correta, Deus estaria à disposição a

2 Crônicas 2

Capítulo 2: Hirão, o amigo do pai de Salomão
Salomão não desprezou as amizades do pai, antes usou essas amizades para o benefício do reino. Hirão era um homem capaz e Salomão confiou a ele o fornecimento de madeiras para a construção do Templo. Davi não construiu o Templo por estar muito envolvido com guerras, mas Salomão usufruía de um templo maravilhoso de paz e, por isso, empenhou-se na construção do Templo. Salomão tinha um reino próspero, mas ainda assim, reconhecia que não havia homens talentosos com madeira bruta como Hirão. Isso nos ensina que a sabedoria anda junto com a humildade. É

2 Crônicas 1

Capítulo 1: A prosperidade do reino de Salomão
1.Salomão teve um reino próspero, não por forças próprias, mas porque Deus estava abençoando. Salomão consultava ao Senhor junto com o povo. Salomão reconheceu a bondade de Deus em dar-lhe tudo, o reino, a paz e o legado de Davi. O pedido de Salomão foi por sabedoria para conduzir o povo de Israel. Deus ficou satisfeito com o pedido de Salomão, pois não estava cheio de interesse próprio como normalmente acontece com as pessoas. A sabedoria que ele pediu não era para ser

2 Crônicas - Introdução

2 Crônicas

Introdução[1]
1.No original hebraico este livro começa com o conectivo “e”, mostrando, assim, a continuidade da narração histórica, pois, como já vimos, 1 e 2 Crônicas formavam um só livro. As informações sobre data, autor, ênfase, omissões e adições seguem o mesmo que o 1º livro das Crônicas. 2 Crônicas cobre um período de 400 anos. Na ordem dos livros no cânon hebreu o Velho Testamento termina com 2

1 Crônicas 29

Capítulo 29: As ofertas, a oração, a proclamação do rei e a morte de Davi
1.Davi sabia que o filho dele, Salomão, precisaria de ajuda, pois era muito jovem ainda. Uma declaração poderosa de Davi é que o palácio não é para homens, mas para o Senhor. Alguém pode pensar que o raciocínio deveria ser o palácio não é para criança, mas para homem. No entanto, Davi vê a obra de Deus como algo consagrado e não humanista. Davi ofertou de seus tesouros particulares para a obra de Deus. Com esse testemunho, a liderança de Israel, voluntariamente, contribuiu para a construção do templo. Nada forçado, ninguém esfolado financeiramente, como, às

1 Crônicas 28

Capítulo 28: Salomão é apresentado como o sucessor do rei Davi
1.Essa foi uma transição sábia, quando o monarca não deixa o reino sem sucessor, mas deixa tudo preparado para quando morrer, o filho Salomão assumir. Sabemos que quando Davi estava velho e fraco, na cama, o filho Adonias tentou usurpar o trono. Natã e Bateseba tiveram um papel fundamental. De qualquer maneira, essa cerimônia, do capítulo 28 e 29, selam o desejo do rei Davi e

1 Crônicas 27

Capítulo 27: Os turnos
1.O trabalho daqueles que lidavam com os negócios do rei, a administração geral do reino, era realizado de mês em mês. Esses administradores do reino eram divididos em 24 mil pessoas cada turno. Eram, portanto, 288 mil administradores, trabalhando 24 mil em cada mês. Sendo assim, a primeira turma só repetiria seu trabalho específico 12 meses depois de ter servido. Isso nos dá uma ideia da dimensão do reino. O trabalho desses administradores devia beneficiar todo o reino. Um modelo de administração pública. De cada tribo de Israel, Deus mandou separar um chefe. Talvez

1 Crônicas 26


Capítulo 26: As tarefas dos porteiros e juízes
Da mesma forma, os porteiros eram divididos em famílias para servirem por turnos no templo. Eles ficavam nas portas. Eram 12 portas. Dentre os levitas, havia também os que guardavam, não apenas as portas, mas as riquezas do templo que eram muitas. Todas as coisas dentro do templo eram consagradas. Não havia nenhum objeto que não fosse consagrado. Cada despojo de guerra levado para o templo era do Senhor e, portanto, santo, sagrado. O sacerdote Samuel consagrou muitos objetos e ainda se encontravam na Casa do Senhor e seriam colocados dentro do templo que

1 Crônicas 25

Capítulo 25: As tarefas dos cantores
A música sempre foi usada por Deus para a adoração e batalhas. Sendo que o objetivo era um templo fixo onde o povo adoraria ao Senhor e não entraria em batalhas, pois haveria paz, a função dos músicos estava relacionada ao templo. Além de cantores, havia os instrumentistas. Devia ser um ambiente de muita calma, pois sempre havia música na cidade. Todos os dias o templo era embelezado com louvores ao Senhor. Eram tantas famílias de músicos que era necessário uma

1 Crônicas 24


Capítulo 24: As tarefas dos sacerdotes
Os sacerdotes também eram divididos em famílias para as tarefas do templo. Eles entrariam na Casa do Senhor como foram ensinados na Lei de Moisés (v.1-31).

“Depois da declaração às famílias dos levitas (1 Cr 23), temos os próximos arranjos dos sacerdotes para a execução do serviço no santuário; As famílias sacerdotais descendiam dos filhos de Arão, Eleazar e Itamar sendo divididos em vinte e quadro classes, a ordem daqueles que serviam, a qual era estabelecida por

1 Crônicas 23

Capítulo 23: As tarefas dos levitas
Havia 38 mil levitas. Muitos desses estariam bem ocupados com a construção do templo. Quando o templo estivesse funcionando, a adoração seria dirigida pelos levitas, cada um segundo seu turno. As famílias seriam organizadas para servir a Deus juntas, cada pessoa com suas tarefas específicas. Por exemplo, uns seriam porteiros, outros músicos e outros queimariam incenso. O objetivo era que os levitas não precisassem mais mudar o tabernáculo, pois os tempos seriam de paz. As tarefas eram

1 Crônicas 22

Capítulo 22: Os preparativos para a construção do templo
1.No mesmo lugar onde Davi erigiu um altar após ser perdoado do pecado do censo, o templo seria construído. Isso mostra a graça de Deus que opera limpando os nossos pecados tornando a nossa vida em louvor de Sua glória. Os estrangeiros que preparariam as pedras para o templo. A organização de Davi deixaria qualquer empresário de hoje impressionado. Ele mandou separar ferro para fazer os pregos e madeira para as estruturas e portas. Ele pensou em Salomão que era muito jovem, mas daqui

1 Crônicas 21

Capítulo 21: O censo pecaminoso e o lugar do templo
1.Em 2 Samuel 24, a ação é de Deus e aqui, em Crônicas, a ação é de Satanás. A aparente contradição se resolve quando admitimos que Deus permite ações ruins dos desobedientes que abrem brechas para Satanás e o pecado atuarem em suas vidas. Isso concorda com Rm 1.26-27. Jó, embora não estivesse pecando, nunca soube que os sofrimentos eram infringidos por Satanás com a permissão de Deus. Há liberdade para desobedecer a Deus, mas isso nunca termina bem. Davi confiava mais em seus próprios recursos do que na força de Deus para as batalhas. Evidentemente, não foi sempre assim, mas

1 Crônicas 20

Capítulo 20: Os despojos e os gigantes
1.Aquela batalha frustrada onde morreu Urias continuou sob o comando de Joabe. A vitória estava ganha, mas Joabe quis dividir a glória com os soldados e com Davi. O despojo da cidade e do ídolo Moloque foi muito rico. Davi colocou todos para trabalharem nos despojos e os moradores das cidades inimigas para trabalharem nas construções que seriam de Israel (v.1-3)

2.Davi era um homem de guerra e, agora, novamente, a guerra contra os filisteus. Um gigante chamado

1 Crônicas 19

Capítulo 19: Humilhação e destruição
Davi manteve uma boa amizade com os amonitas por um tempo, mas foi traído. Agora, Davi quer ser um bom vizinho e levar as condolências pela morte do rei de Amom. Porém, como acontece muitas vezes, quando alguém tem uma boa intenção de um lado, do outro quase sempre há alguém desconfiando da boa intenção. Os príncipes de Amom desconfiaram que os homens de Davi eram espias e os humilharam rapando metade das barbas e rasgando as vestes dos soldados de Davi. Os homens estavam muito envergonhados, mas Davi os protegeu em suas vergonhas, deixando-os na

1 Crônicas 18

Capítulo 18: Davi, um rei vitorioso
Davi foi uma máquina de destruir povos. Ele os vencia e se estabelecia cada vez mais como rei de toda a terra e não apenas de Israel. Os filisteus e moabitas, grandes inimigos, foram neutralizados. Os moabitas se tornaram tributários de Israel. Até mais longe, Davi tinha autoridade, como a nação de Zobá que queria se estabelecer na Mesopotâmia. Davi mandava jarretar os cavalos dos inimigos, isto é, cortava os tendões das pernas. Os siros também tentaram derrotar Davi, mas ele os venceu. Israel ficou muito rica, pois todos esses povos, além de tributários foram despojados de suas

1 Crônicas 17

Capítulo 17: O desejo de Davi em construir um templo
1.Davi lutou muito para manter o reino estabelecido. Foram muitas batalhas e sangue. Vendo o seu palácio e comparando com a arca da aliança em um lugar tão simples, Davi teve a ideia de construir algo magnífico para Deus. Natã o apoiou, mas Deus tinha outros planos. Primeiro, não há construção na terra que possa comportar Deus e nem impressioná-Lo, pois Ele é o criador de todas as coisas e de nada precisa. Desde o Egito, Deus, através da arca, tem viajado em barracas, referência ao Tabernáculo. Deus nunca mandou nenhum líder construir algo mais pomposo. Davi, o qual saiu do pasto, pois era pastor de ovelhas, agora quer magnificar Deus, construindo algo bonito e grande

1 Crônicas 16

Capítulo 16: O culto de gratidão pelo retorno da arca
1.A arca foi colocada no lugar preparado. Houve uma grande festa com deliciosas refeições. Asafe, pela primeira vez, dirige os hinos de louvor. Aqui está uma miscelânea dos Salmos 96, 105 e 106.[1] (v.1-36).

2.Asafe ministraria louvores diante da arca, os 68 irmãos de Obede-Edom e ele seriam os porteiros

1 Crônicas 15

Capítulo 15: A arca, os levitas e Mical
1.Davi se preocupou em dar um lugar para a arca. Posteriormente, ele desejará construir um templo para a arca. Comparando com as casas que ele construiu para si, a arca estava em um lugar muito modesto. Davi, receoso com o que aconteceu com Uzá, determina o que já era lei, ou seja, que apenas os levitas levassem a arca e certamente da maneira correta, com os varais nos ombros dos levitas. Davi também deu atenção aos músicos que deveriam servir na adoração. A arca foi levada

1 Crônicas 14

Capítulo 14: Vitória sobre os filisteus
O rei de Tiro forneceu madeiras e trabalhadores para Davi construir um palácio. O rei Davi via tudo aquilo como confirmação de Deus sobre o seu reinado. E, claro, como era bem comum na época, Davi ajuntou esposas para si próprio. O rei Davi que ganhou forças sendo protegido pelos filisteus, agora é temido e, por isso, ameaçado. Davi sempre perguntava ao Senhor antes de entrar numa batalha e só saía com a certeza de vitória. Os filisteus saíram abandonando os ídolos no campo de batalha. Em outra consulta ao Senhor, a estratégia mudou. Por isso, não podemos contar com a

1 Crônicas 13

Capítulo 13: O retorno da arca para Israel
Se fôssemos medir um reinado, não deveríamos fazê-lo apenas pelas batalhas vencidas, mas no interesse que o rei tem de levar o povo a adorar ao Senhor. Davi pensava na presença de Deus e a arca da aliança era o símbolo nacional dado por Deus para buscarem ao Senhor em adoração. Davi, portanto, foi buscar a arca que estava em Judá depois que os filisteus a devolveram forçadamente devido ao povo destruidor dela. No entanto, o transporte da arca estava totalmente errado. Ela era equipada com argolas e varapaus e, portanto, deveria ser carrega pelos ombros e não em um veículo. Assim era a ordem de Deus. Não importa que os carreteiros fossem levitas, a arca deveria

1 Crônicas 12

Capítulo 12: O exército de Davi
Davi tinha um exército invejável, pois seus homens eram habilidosos. Havia um grupo de flecheiros ambidestros. Eles eram parentes de Saul. O texto fala dos filhos de Gade que fugiram no rio Jordão quando este estava cheio por todos os lados. Mostra a coragem de Amasai, o qual foi dirigido pelo Espírito, para jurar lealdade e tornar-se tropa de Davi. Alguns da tribo de Manassés ficaram do lado de Davi e não dos filisteus. O exército de Davi é tratado pelo cronista como o exército de Deus. Foi esse exército que proclamou a Davi rei em Hebrom. Houve unanimidade em todo o povo de Israel

1 Crônicas 11

Capítulo 11: Davi é proclamado rei
1.Davi foi, de fato, proclamado rei por toda a nação. O povo reconhecia que, mesmo quando o rei era Saul, era Davi quem vencia as batalhas e que o próprio Deus o estabeleceu como rei. O reinado de Davi foi de 40 anos, dos 30 até aos 70 anos de idade. Quando Davi ia entrar em Jerusalém, os jebuseus zombaram dele, considerando-o tão fraco que até os cegos e aleijados o enfrentariam sem dificuldade. Mas não foi bem assim, pois Davi conquistou a cidade e colocou o próprio nome na

1 Crônicas 10

Capítulo 10: A morte de Saul
A luta do final deste final foi Israel contra os filisteus. Davi que já esteve no exército filisteu, agora está no time do coração, Israel. Os filhos de Saul foram mortos em batalha. Não foi uma luta fácil como era de se prever. Saul ficou ferido. O orgulho nacional e do rei falou bem alto na hora da morte de Saul. Ele não queria deixar um legado pior do que já estava deixando. Ele não queria que a biografia dele fosse marcada com sua morte pelas mãos dos filisteus. Ele pediu que o seu armeiro o matasse, mas este não teve coragem. Saul se matou. De fato, não foi um suicídio por problemas existenciais, dívidas ou por algum amor não correspondido. Foi um golpe de misericórdia por ele próprio que já iria morrer. O armeiro de Saul também se matou, mas este não estava ferido, e sim

1 Crônicas 4.9-10

Capítulo 4: Devemos praticar a “oração de Jabez”?

“A pessoa mais notável neste capítulo é Jabez. Não nos é dito porque ele é o mais honorável dentre os seus irmãos; porém, entendemos que era um homem de oração. O caminho para ser verdadeiramente grande é procurar e se esforçar para fazer a vontade de Deus, e orar fervorosamente. Aqui aparece a oração que ele fazia. Jabez orava ao Deus vivo e verdadeiro, o qual é o único capaz de ouvir e responder à oração; e, ao rogar, considerava-o como o Deus que tem um

1 Crônicas 1-9

Capítulo 1-9: Genealogias
As genealogias neste livro começam com o primeiro homem e vai seguindo com os descendentes dele, depois Noé e seus descendentes, então, continua com os descendentes de Abraão e Jacó. Há toda a linhagem de Judá, pois é importante mostrá-la para enfatizar a família de Davi. Nessas genealogias há a explicação das duas tribos e meia do outro lado do Jordão. Como outra ênfase está na adoração no templo, o cronista registra a linhagem dos levitas e os descendentes de Arão, bem como mostra quais são as cidades dos levitas. As tribos de Israel estão catalogadas aqui também. Há também o registro dos

Eu e o WhatsApp

Eu e o WhatsApp por Pércio Coutinho
Baseado em experiências reais

Antes da maravilhosa aquisição que fiz de um smartphone, minha rotina não era tão difícil. Deitava-me para me preparar para o sono. Minha esposa e eu concordamos em não ter TV no quarto. Eu lia um livro em

1 Crônicas - Introdução

Introdução[1]
1.Assim como os livros dos reis, 1 e 2 Crônicas no original hebraico são um só livro. Crônicas, embora pareça, não é a repetição dos livros dos reis. Os livros dos reis e de Samuel tratam de Judá e Israel; os livros das Crônicas tratam somente de Judá. Os tradutores gregos deram o nome para este livro de “As coisas omitidas”. Porém, o título hebraico é “Diberey hayyãmim” = as palavras dos dias ou narrativas dos dias. A palavra “crônicas” significa coletânea de fatos históricos em ordem cronológica.

2.A tradição judaica afirma que Esdras foi o escritor. O fim do livro de Crônicas liga com o começo do