Eu e o WhatsApp

Eu e o WhatsApp por Pércio Coutinho
Baseado em experiências reais

Antes da maravilhosa aquisição que fiz de um smartphone, minha rotina não era tão difícil. Deitava-me para me preparar para o sono. Minha esposa e eu concordamos em não ter TV no quarto. Eu lia um livro em

1 Crônicas - Introdução

Introdução[1]
1.Assim como os livros dos reis, 1 e 2 Crônicas no original hebraico são um só livro. Crônicas, embora pareça, não é a repetição dos livros dos reis. Os livros dos reis e de Samuel tratam de Judá e Israel; os livros das Crônicas tratam somente de Judá. Os tradutores gregos deram o nome para este livro de “As coisas omitidas”. Porém, o título hebraico é “Diberey hayyãmim” = as palavras dos dias ou narrativas dos dias. A palavra “crônicas” significa coletânea de fatos históricos em ordem cronológica.

2.A tradição judaica afirma que Esdras foi o escritor. O fim do livro de Crônicas liga com o começo do

2 Reis 25

Capítulo 25: O cativeiro da Babilônia sobre Judá
1.O que Deus disse em todo o livro de Jeremias que aconteceria, finalmente, aconteceu. O rei Zedequias ficou com toda a responsabilidade pelo cativeiro. Ele apenas continuou os erros dos anteriores, principalmente, Jeoaquim. Zedequias resistiu a Babilônia quando deveria se render e, por isso, Deus o entregou a Babilônia. Jerusalém sofreu o cerco da Babilônia por dois anos. Faltou alimento para Jerusalém e, então, os caldeus aproveitaram essa fragilidade e invadiu a cidade. O rei

2 Reis 24

Capítulo 24: Os últimos reis antes do cativeiro da Babilônia sobre Judá
A Babilônia levou Jeoaquim cativo. O Egito perdeu o poder para a Babilônia. Aqui começa a leva dos nobres para a Babilônia como cativos. Joaquim que veio depois de Jeoaquim (Eliaquim), foi levado para a Babilônia e em seu lugar ficou Matanias, muito mais conhecido por Zedequias. O grande erro de Zedequias foi não se submeter a Babilônia, pois Deus queria esse cativeiro, devido a tudo que já sabemos da idolatria de Judá. No entanto, Zedequias tornou tudo mais difícil para ele e para o povo

2 Reis 23

Capítulo 23: O rei Josias não terminou bem
1.O rei Josias reuniu a liderança e fez com que todos se comprometessem em servir fielmente ao Senhor. Esse apelo resultou em purificação de toda a aparência do mal no templo. Os sacerdotes infiéis e idólatras foram destituídos. Proibiu o sacrifício de crianças a Moloque. Até animais eram dedicados ao sol, mas Josias mandou tirar esses cavalos da entrada do templo. As idolatrias instituídas pelo rei Salomão foram tiradas também. O rei Josias eliminou com fogo até os ossos que estavam nos sepulcros daqueles que levaram a nação à idolatria. Mandou celebrar a Páscoa que estava esquecida e eliminou todo o tipo de feitiçaria do reino. Estranhamente, Josias morreu numa batalha na qual o rei do Egito estava indo em direção ao rei da Assíria. Quando lemos apenas 2 Reis

2 Reis 22

Capítulo 22: O rei Josias
Josias foi outro exemplo de um rei como Davi. O rei Josias e o rei Ezequias foram os mais parecidos com Davi na piedade e amor à obra de Deus. Josias começou cedo, com 8 anos de idade. Josias investiu no reparo do templo. Havia honestidade na administração do dinheiro. Empregados qualificados não ficaram sem seu salário. O sumo sacerdote Hilquias achou o Livro da Lei e a profetisa Hulda anunciou o juízo sobre Judá, mas, devido à fidelidade de Josias, ele não veria esses

2 Reis 21

Capítulo 21: O rei Manassés, sua idolatria e seu arrependimento
1.Todo o trabalho que o rei Ezequias teve para purificar a nação da idolatria, Manassés despreza e retorna com força à idolatria de Acabe e Baal. Todo o tipo de adivinhação foi bem recebida no reinado de Manassés. Ele também sacrificou o próprio filho nessas adorações. Em 2 Cr 33.6 diz que sacrificou não apenas um filho, mas “filhos”. Deus anunciou o juízo sobre Judá no reinado de Manassés. O juízo seria o cativeiro. Em 2 Cr 33.12-17, temos um importante relato do arrependimento e oração de Manassés. Deus o perdoou. Manassés tentou reparar muitos dos seus erros, edificando o muro fora da cidade e purificando o templo das idolatrias. Ainda em Crônicas, ao

2 Reis 20

Capítulo 20: A doença e cura do rei Ezequias
1.Alguns comentaristas dizem que a doença de Ezequias foi muito tempo antes dos acontecimentos dos capítulos anteriores. A doença teria sido um abscesso ou um câncer. O Senhor estava avisando ao rei Ezequias que o tempo de vida dela estava cessando e que deveria colocar as coisas em ordem. O rei, como qualquer um de nós faria, chorou e se desesperou. Ele colocou a sua fidelidade como razão para Deus lhe dar mais tempo de vida. É arriscado pensarmos que Deus dá mais tempo ou

2 Reis 19

Capítulo 19: O profeta Isaías consola o rei Ezequias
1.O profeta Isaías animou ao rei a fazer o que ele estava fazendo mesmo, ou seja, confiar no Senhor.  A situação era grave e o rei precisava saber das ameaças da Assíria contra Judá. O rei Ezequias se sentia como para dar à luz, mas sem forças. A ilustração pode ser entendida tanto para a criança que não tem forças para sair ou a mãe que esgotou suas forças, ambos em perigo de morte. A atitude acertada dele foi buscar o Senhor. Naquele tempo, Deus ouvia o povo através dos profetas, por isso, o rei Ezequias procurou o profeta Isaías. Não era possível que Deus estivesse dando razão a Assíria, o

2 Reis 18

Capítulo 18: O rei Ezequias
1.A história do rei Ezequias é muito rica em detalhes. Em Crônicas cobre os capítulos 29-32 (4 capítulos) e aqui em 2 Reis, a história de Ezequias toma três capítulos (2 Rs 18-20). O rei Ezequias é o exemplo claro de que um filho não precisa seguir o exemplo mau do pai. Ezequias foi fiel igual ao modelo de todos os reis, o rei Davi. Destruiu os ídolos, até a serpente de bronze que ainda estava em poder do povo de Judá, chamada Neustã. O rei Ezequias foi único. Igual a ele, somente o rei

2 Reis 17

Capítulo 17: O cativeiro e o sincretismo em Israel
1.Oseias foi um rei mau, mas não tanto como os demais. Oseias se tornou tributário da Assíria. O rei da Assíria descobriu uma conspiração do rei Oseias com o rei do Egito, por isso, prendeu Oseias. Foi no reinado de Oseias que Israel foi tomada cativa para a terra dos assírios. A idolatria foi a razão principal do cativeiro. Deus levantou muitos profetas, nessa época, para advertir o povo contra o pecado. Porém, a rejeição a Deus foi nacional. Até mesmo Judá foi contaminada pela idolatria e desobediência de Israel. O rei da Assíria trouxe um misto de nações para habitar a Samaria. Deus

2 Reis 16

Capítulo 16: Acaz, o rei idólatra irremediável
Acaz extrapolou a perversidade em Judá ao queimar o próprio filho como sacrifício e praticar toda a espécie de idolatria. Em 2 Cr 28, diz que não foi apenas um filho que ele sacrificou, mas “filhos”. Deus usou o profeta Odede para repreender Acaz. O reino do norte causou muita destruição em Judá nessa época. Acaz ofereceu ao rei da Assíria as riquezas da Casa do Senhor, porém, conforme

2 Reis 15


Capítulo 15: Os 7 reis
Este capítulo registra a história de 7 reis. Uzias foi um bom rei em Judá, mas não perfeito. Ele ficou com uma doença de pele, afastado de tudo e de todos (2 Cr 26). Em 2 Rs 15, algumas versões dizem Azarias, mas é o mesmo que Uzias. O sacerdote que o repreendeu também se chamava Azarias (2 Cr 26). Jotão, seu filho reinava em seu lugar, pois o seu pai ficara leproso. Zacarias foi um rei mau e foi morto. A profecia sobre Jeú foi cumprida, ou seja, quatro gerações de reis. Salum foi um rei muito breve, apenas um mês. Menaém foi um rei perverso que matou as grávidas. Menaém pagou

2 Reis 14


Capítulo 14: Jeroboão II o reconquistador das terras de Israel
1.Amazias não era um rei mau, porém, não foi fiel igual a Davi, a base de todos os reis de Judá. Amazias matou os assassinos do pai dele, mas cumpriu a Lei de Moisés e poupou os filhos dos assassinos. Ele venceu Edom e desafiou o reino do norte para uma batalha. O modo como Amazias venceu os edomitas foi espetacular. Ele pagou homens, mas Deus não queria que ele usasse os soldados pagos. Deus daria muito mais a ele do que foi pago. Essa história está em 2 Cr 25.5-13. Depois dessa batalha, Amazias se tornou idólatra dos deuses edomitas (2 Cr 25.14-16). Jeoás

Quem é o homem segundo a Bíblia

Texto "Quem é o homem segundo a Bíblia"[1]
Gênesis nos lembra que o homem é caído em Adão, assassino igual a Caim, briguento como Lameque e rebelde como os contemporâneos de Noé. Contencioso como os pastores de Abrão e Ló. O homem é revoltoso feito os construtores de Babel, sequestrador como os quatro reis e imoral na baixeza dos sodomitas. O sorriso do homem é sarcástico como o de Sara e os atalhos iguais ao dela, Abrão e Agar. A enganação de Jacó e as trapaças de Labão continuam a corromper o homem, mas também a inveja dos irmãos de José o corrói como traças.

Êxodo nos acusa de sermos escravos do pecado assim como os judeus do Egito. O homem adora seu

2 Reis 13

Capítulo 13: A morte de Eliseu
Mais um rei mau para a coleção de Israel. Dessa vez, o rei era Jeoacaz. Deus usou para disciplinar Israel, o rei Hazael da Síria que teve muitas vitórias sobre Israel. Mesmo em disciplina, Deus ouviu Jeoacaz, pois o povo estava sofrendo muito. Deus levantou um líder libertador e Israel teve paz, embora continuasse em sua idolatria. Jeoacaz ficou com um exército bem diminuído. Após ele, veio o rei Jeoás. Ele também foi um rei idólatra, seguidor dos caminhos de Jeroboão e Acabe. O profeta Eliseu ficou doente. Jeoás valorizava o profeta Eliseu por tudo o que representou para a nação. Antes de morrer, Eliseu profetizou a vitória de Jeoás sobre a Síria. Porém, Jeoás foi econômico em ferir a terra apenas três vezes. Sendo assim, as vitórias sobre a Síria seriam poucas também. Até

2 Reis 12

Capítulo 12: A reforma do templo
1.Joás foi um rei piedoso e longínquo. Reinou por quarenta anos. Ele não conseguiu ou não quis destruir todos os lugares pagãos de adoração do povo. Porém, ele não era idólatra e não incentiva o povo à idolatria. Ele usou muito bem o dinheiro público, ofertas do templo para reformá-lo. O dinheiro arrecado para reformas, durante 23 anos, não foi usado, por isso, Joás mesmo cuidou disso e administrou o dinheiro de maneira correta, para os consertos do templo. Com isso, a obra de Deus teve continuidade e muitos trabalhadores qualificados foram empregados nas reformas. Havia honestidade e não houve desvio de verbas. Joás também usou o dinheiro para acalmar Hazael, o rei

2 Reis 11

Capítulo 11: Joás, o rei escondido
A partir daqui, quase todas as histórias se repetem nos livros das Crônicas. Atalia mandou matar toda a família real para se tornar a rainha, mas a tia de Joás protegeu o menino durante seis anos numa câmara do templo. Uma babá cuidou do menino nesse tempo. Quando o menino fez 7 anos, para a surpresa de todos, foi apresentado para ser o rei legítimo. O sacerdote Joiada teve grande participação convocando os guardas, em seus turnos, para protegerem o menino Joás. Joiada coroou Joás e o povo aceitou. Atalia não gostou e viu aquilo como traição. Quem era ela para falar

2 Reis 10

Capítulo 10: A purificação de Israel dos adoradores de Baal
1.Ainda faltavam os filhos de Acabe para que a profecia de Elias se completasse, acabando com a descendência de Acabe. Jeú completou a obra matando os 70 filhos de Acabe. Até os amigos dos parentes de Acabe foram mortos. O filho de Recabe, Jonadabe, estava com Jeú. Os profetas de Baal estavam, agora, sozinhos. Jeú enganou os profetas dizendo que daria um grande sacrifício a Baal e mandou reunir os adoradores e os matou. Jonadabe e Jeú mataram os adoradores dentro do próprio

2 Reis 9

Capítulo 9: As palavras de Deus por meio de Elias são cumpridas no ministério de Eliseu
1.Deus já falara ao profeta Elias que Jeú seria rei em Israel. Um profeta de Eliseu foi enviado até Jeú para ungi-lo rei. A vingança de Deus sobre a família de Acabe viria através de Jeú. Acabe tinha sido muito mau e matado os profetas de Deus. Jezabel era a cabeça de Acabe e, por isso, também seria morta, mas não sepultada. Os cães comeria o corpo dela. Os companheiros de Jeú queria saber o que aconteceu e o que aquele profeta veio fazer. Quando Jeú disse que foi ungido rei, logo todos o reverenciaram. Jeú, sem respeitar ninguém e nenhum mensageiro, foi ao encontro de Jorão e

2 Reis 8

Capítulo 8: Hazael o usurpador de Ben-Hadade
1.A mulher sunamita, já é conhecida neste livro, pois hospedou o profeta Eliseu, este a curou da esterilidade e, posteriormente, ressuscitou o filho dela. Essa mulher fugiu para as terras dos filisteus e agora retorna no mesmo momento em que Geazi estava fazendo uma boa propaganda ao rei sobre o profeta Eliseu. O rei, ao comprovar a história de Geazi sobre a mulher, mandou devolver todas as propriedades da mulher de Suném. Além disso, calcularam o valor das colheitas que ela

Isaías 22

Capítulo 22: Profecia sobre a queda de Jerusalém
Jerusalém é alta rodeada por três colinas e cadeias de montanhas. Dos telhados das casas veriam os assírios sitiando a cidade. Os que morreram dentro da cidade foi de medo ou de fome devido ao estado de sítio imposto por Senaqueribe. A fuga deles limitou-se ao território de Jerusalém. Foram pegos desarmados. Estavam apavorados por Senaqueribe da Assíria. Não há consolo para o profeta, pois a Assíria virá atropelando Judá e não há volta quanto a isso. O rei Ezequias sentia-se atropelado pela Assíria. Não havia resistência (v. 5, veja 2 Reis 18.13). Elão são os persas e Quir são os medos,

Isaías 21

Capítulo 21: Profecias contra Babilônia, Dumá e Arábia
Por causa dos afluentes e pântanos, o deserto da Babilônia é sempre mar. A pérfida (enganosa) Babilônia foi conquistada pelo Elão, também conhecido com Pérsia. Até o profeta Isaías sente as angústias da Babilônia. O crente se aflige com a condenação do pecador. A Babilônia estava despreocupada. Os seus príncipes estavam comendo e bebendo em seus banquetes. O pecador está tranquilo em seu estado (v.5, veja Daniel 5). Atalaia era aquele servo que ficava em cima de uma torre o qual avisava do perigo iminente. A Babilônia que tem por símbolo um leão, agora está fragilizada. É um leão velho e abatido. A Babilônia caiu. O profeta toma a Babilônia como se fosse o

Isaías 20

Capítulo 20: Egito e Etiópia no cativeiro
Em 711 a.C., o general da Assíria dominou Asdode, cidade filisteia, perto do Egito que seria conquistado em seguida. O profeta fez a vontade de Deus às custas de sua própria vergonha. Despiu-se para servir a Deus. Israel estava confiando no Egito e na Etiópia, através de uma aliança, para se proteger da Assíria. Seria inútil, pois Deus destruiria a esperança falsa de Israel. Como escaparemos?

Isaías 19

Capítulo 19: Profecia contra o Egito
Os ídolos temerão e os egípcios se derreterão, pois o Senhor julgará o Egito. Uma guerra civil enfraqueceria o Egito antes de 700 a.C. Mesmo em ruína, os egípcios clamavam àqueles que não podiam lhes ajudar, os demônios e endemoninhados. Em 671 a.C. a Assíria invadiria o Egito e dominaria por 19 anos. O Egito seria arruinado pela seca. O rio Nilo não transbordaria e, por isso, a vegetação não cresceria, causando colapso na economia. O Egito se orgulhava de ser a nação com mais sábios do mundo. Zoã era a capital do norte do Egito. Os seus sábios estavam confusos. Se os sábios fossem falar agora, deveriam falar da destruição do Egito. Pobres e ricos (cabeça e cauda,

Isaías 18

Capítulo 18: Profecia contra a Etiópia
Uma nação numerosa como insetos. O número de um exército era assustador. O profeta manda que os embaixadores da Etiópia enviem a profecia contra sua nação de homens altos e peles bronzeadas (polidas, brunidas). Os dois rios que se encontram na Etiópia são o Nilo Azul e o Nilo Branco que vêm do Egito. Deus usaria a Assíria em 701 a.C. para afligir a Etiópia. Portanto, a nação poderosa e esmagadora sentiria o poder de Deus. O olhar calmo de Deus se refere ao castigo Dele que pode ser

Isaías 17

Capítulo 17: Olhando para o seu Criador
A Síria abandonou o Criador que fez tudo organizado, agora terá que tropeçar em suas ruínas. Haverá rebanhos, mas sem cuidados. As cidades ficarão abandonadas. A força se acabará por abandonarem o seu Criador. A glória da Síria será como a de Israel, ou seja, destituída. A glória e as riquezas (gordura) diminuirão. O Criador daria tudo isto se não se esquecessem Dele. O ceifador das bênçãos de Israel será o próprio Deus, como repreensão por se esquecerem Dele, como o Seu Criador. Há duas maneiras de olhar para o Criador: adorando-O ou experimentando Sua repreensão. Os que

Isaías 15-16

Capítulos 15-16: Profecia contra Moabe
1.Destruição rápida de Ar e Quir, cidades de Moabe. A tentativa de amenizar a dor através da idolatria, do lamento e do arrancar de cabelos. A dor emocional pode ser vista coletivamente. Gritos e choros altos e abundantes, além de um lamento silencioso. A dor pelo juízo não isenta os valentes de Moabe. A dor vem acompanhada do medo. O desespero alcançou os fugitivos que berravam como uma novilha forte de 3 anos. A seca é desesperadora quando a sociedade é agrícola. Faltam pastos e verduras. O pouco que conseguem ceifar levam para um local à parte a fim de preservar os alimentos

Isaías 14

Capítulo 14: Profecia sobre a queda da Babilônia
1.Deus ama o Seu povo eleito. Ele nunca desistirá de Israel, a casa de Jacó. Israel será a nação dominante no reino futuro do Messias na terra. Porém, será um domínio justo. A nação de Israel terá o descanso, não porque merece, mas por causa do amor de Jesus por ela. A Babilônia será alvo de zombaria. Tanto a Babilônia dos caldeus como a Babilônia do Anticristo. Satanás que sempre usou a Babilônia terá seu domínio quebrado novamente no final dos tempos. Todos os povos descansarão da tirania das Babilônias (passado e futura). O inferno espera a Babilônia que se enfraquecerá como

Isaías 13

Capítulo 13: Profecia contra a Babilônia
Todo esse capítulo fala da Babilônia, o instrumento de Deus para julgar Judá, mas que agora é julgada. Chegou o momento de Deus tratar a Babilônia como uma nação tirana. Os consagrados de Deus aqui serão as nações conjuntas, Média e Pérsia. Deus mesmo inspecionará as tropas inimigas para a destruição da Babilônia. Deus usa instrumentos perversos para fazer a Sua obra quando os justos estão impossibilitados. Os medos e persas seriam os braços de Deus para julgar a Babilônia. Não haverá nenhum corajoso contra o Senhor, pois Ele amedrontará os inimigos. O julgamento de Deus contra a Babilônia será muito doloroso. Até homens, que fingem não sentir dor, expressarão em seus rostos agonia. A terra mencionada aqui se refere a Babilônia, mas é um prenúncio do que

Isaías 12

Capítulo 12: Ações de graça pela salvação
A oração é a maneira do crente agradecer a Deus pelo consolo. O pecador não nasce salvo. O Senhor se tornou a salvação do pecador. As fontes das bênçãos de Deus são abundantes. Jorram para a vida eterna. A salvação está em invocar o nome do Senhor. O nome de Jesus está acima de todos os outros nomes. O povo de Israel viu grandes coisas e a Igreja está vendo na Palavra. Todos no mundo precisam saber dos feitos de Deus. O Senhor Jesus habitou entre os pecadores. Um dia, voltará e fará morada com os salvos. Temos muitos motivos de gratidão. Podemos agradecer a Deus pelo consolo

Isaías 11

Capítulo 11: O renovo do tronco de Jessé
Jessé foi o pai de Davi. Jesus é o descendente de Davi. O Espírito Santo controlou o ministério de Jesus, Jesus julgará com o juízo do Pai. Ele sempre foi obediente. O julgamento de Jesus será aplicado somente quando estabelecer o Seu reino. Jesus é todo justiça (cinto). Se Ele estivesse reinando agora, este mundo não seria corrupto. Jesus restaurará a harmonia da Criação. A lei da sobrevivência deixará de existir, pois todos viverão Nele. Jesus encherá a terra do conhecimento de

Isaías 10

Capítulo 10: Profecia contra a Assíria
1.Deus quis disciplinar Israel usando a Assíria como uma vara de Sua ira. O nome do filho de Isaías está se cumprindo com a vara da disciplina (veja 8.3). A Assíria começou a pensar que era indestrutível, mas o propósito de Deus era somente usá-la como vara. A Assíria começou a achar que os seus príncipes eram melhores que os reis de outras nações. Todas as cidades mencionadas foram conquistadas pela a Assíria e, por isso, está arrogante. Nações poderosas foram conquistas pela a Assíria. Israel e Judá seriam apenas mais duas conquistas. A próxima conquista da Assíria seria o

Isaías 9

Capítulo 9: A esperança de luz e alegria
1.Os povos estão em extrema angústia e trevas por causa do pecado. Jesus morou na Galiléia, portanto, a luz brilhou ali. No entanto, rejeitaram a luz. Os povos se encherão de alegria como na Festa das Colheitas. Alegria igual ao encher sua casa de mantimentos. A alegria será como quando Gideão, com 300 soldados, venceu os midianitas. As botas e as vestes do inimigo queimadas são símbolo de vitória completa. A vitória será conquistada por causa de um menino, Jesus Cristo que se tornou homem. A vitória do Messias se estenderá por toda a terra e por toda a eternidade. Só, então,

Isaías 8

Capítulo 8: A invasão dos assírios
1.Deus escreveu para nossa advertência (1 Co 10.11). Quando lemos somos advertidos, mas quando não lemos podemos nos machucar. O filho do profeta era o sinal para o rei Acaz (veja 7.14). Deus sempre cumpre as Suas promessas. Deus não esperaria até 11 anos (veja 7.16), mas daria um sinal aos 3 anos (“papai,mamãe”). Deus quer nossa mudança, por isso, a disciplina pode ser progressiva. Siloé era uma fonte agradável em Jerusalém. Quando preferimos outras fontes que não sejam as divinas, corremos o perigo de sofrer para sentirmos sede da Água Viva. As águas fortes são o exército da

Isaías 7

Capítulo 7: Cativeiro da Assíria. Promessa de um Libertador. Punição aos que não confiarem no Libertador
1.Ano 735 a.C. Acaz, rei de Judá, filho de Jotão, neto de Uzias (veja cap. 6). Peca, rei de Israel e Rezim, rei da Síria, não conseguiram vencer Judá. O motivo da luta: Forçar Judá a se unir à Israel e Síria contra a Assíria. O servo de Deus não precisa fazer alianças erradas, pois está do lado do vitorioso. Casa de Davi = Judá. Efraim = Israel. Acaz ficou agitado, pois tinha medo. Isaías e o filho tinham uma mensagem de esperança para o rei Acaz (Shear-Jashub, um resto volverá ou voltará). Aqueduto = Adutora para levar suprimento de água. Acaz queria verificar o suprimento de água, por causa do cerco contra Jerusalém. Açude = Reservatório de água. Um lago. Campo do lavadeiro =

Isaías 6

Capítulo 6: A visão de Isaías e o chamado de Deus
1.Quem servirá a Deus em Sua obra deve, primeiro, vê-Lo. Isaías não viu um deus-servo, mas um Deus glorioso. Isaías viu o Deus Santo como uma Triunidade. Isaías viu um Deus presente e poderoso. Quem servirá a Deus deve reconhecer que é um pecador que depende da Sua misericórdia. Quem servirá ao Senhor precisa ser purificado pelo próprio Deus. O pecado não confessado é um peso desnecessário que prejudica a si mesmo e a obra. Livre-se dele. O Deus triúno (“Quem há de ir

Isaías 5

Capítulo 5: A vinha má e os Ais
1.Uma vinha em um monte fértil. Deus ama tanto o pecador! O profeta canta ao seu Amado, o Deus de Israel. Israel é a vinha. Fica numa região mais alta que as outras nações ao redor e é bem fértil enquanto ao redor há desertos áridos. A nação foi muito abençoada por Deus. Uma vinha bem cuidada. As ferramentas certas foram usadas. O terreno foi bem limpo. As mudas foram selecionadas. Até foi construído um lagar na vinha para a fabricação de vinho. Deus cuidou para que Israel fosse

Isaías 4

Capítulo 4: O renovo do Senhor
Renovo é um broto renascendo de um tronco. O Messias de Israel, o Senhor Jesus, é o Renovo. Há sempre um remanescente fiel a Deus. Remanescente significa restante. Na Bíblia se refere às pessoas em Israel que não seguiram a maioria em seu pecado contra Deus. Os santos são todos os que creram nas Promessas de Deus para a Salvação. O prêmio em ser santo é a vida com Deus. O significado correto de santo: Alguém que simplesmente creu no Salvador sabendo que não merecia nada Dele. Agora é separado por Deus como propriedade exclusiva Dele. Somente os inscritos habitarão a

Isaías 3

Capítulo 3: A maldade de Judá será julgada por Deus
1.Deus tirará o sustento. O homem cede ao ver seu sustento indo embora. Deus tirará os líderes da nação (capitães, valente, guerreiro, juiz, artíficies, conselheiros, orador que é um encantador, profeta, adivinho e ancião). Ignorantes e imaturos governarão. Pessoas despreparadas precisam de líderes sábios. Muita responsabilidade, um projeto falido mais a falta de preparo. Muita responsabilidade = Sê nosso príncipe, Um projeto falido = governa esta ruína, Falta de preparo = Não sou médico, não tenho pão e roupa. O julgamento é por desafiarem Deus. O pecador está se autodestruindo. Situação semelhante já causou o julgamento de Deus sobre o pecador. Exemplo: Sodoma. Mesmo em cativeiro, os justos não têm o que temer. Daniel e seus amigos, Neemias, Esdras, Jeremias e outros